RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Segunda-feira, Julho 06, 2020

Juca – «O cabecinha d’oiro»


Primeiro jogo nas reservas – À festa de Peyroteo e a estreia oficial

Dadas outras voltas por Lisboa e apreciadas com prazer as primeiras impressões do ambiente sportinguista, Juca iniciou, então, a sua actividade desportiva no importante clube, manifestando uma enorme vontade de vencer, tornar-se grande como os maiores da «família» sportinguista.

Foi integrado primeiro na equipa das reservas, como é natural, jogando no entanto, e por diversas vezes no onze dos consagrados. O primeiro jogo, ainda no mês da chegada, realizou-o a médio-esquerdo contra o Atlético, com vitória dos «leões» por 4-2; e no mês seguinte, a 5 de Outubro, tomou parte no festival de despedida de Peyroteo, integrado no conjunto ultramarino (médio direito ) que derrotou a selecção de Lisboa pela «bonita» conta de 7-4.

Juca actuou bem e rezam as crónicas que na sua estreia oficial (ano seguinte) em luta com o Estoril, em Alvalade, não pôde estadear primores devido à fraca coadjuvação dos seus companheiros, em tarde de pouca inspiração, embora o Sporting vencesse por 5-1, com um dos golos marcado por ele. Sentiu – como não podia deixar de ser – uma pequena dose de «mal estar», certo nervosismo quando jogou, assim, perante tanta gente – tanta e diferente da que estava habituado…

«Taça Latina» – Viagem ao Brasil e… selecção nacional

Mas isso foi sol de pouca dura… Dali para o futuro, em constante actividade de jogos de campeonato ou enfrentando um ror de clubes estrangeiros, actuou já como senhor do lugar que, mais tarde, o havia de levar em justa escolha, à internacionalização. As primeiras equipas estrangeiras suas adversárias em Alvalade foram os suecos do Helsingborgs e os espanhóis do Real Madrid.

Depois… outros jogos de campeonato, encontros com turmas famosas vindas de vários pontos da Europa, a disputa da «Taça Latina» (1951-1952-1953) em França, na ltália e em Lisboa, viagens ao Brasil naqueles mesmos anos para torneios de fama mundial, muitas outras viagens incluindo a que o Sporting fez à província de Moçambique.

Até que chegou a altura – feliz momento! – de fazer parte da selecção nacional contra a Áustria em jogo que se realizou no Porto em 23 de Novembro de 1952 com o resultado de 1-1.

Eis a melhor recordação da sua vida de futebolista: a primeira vez que envergou a camisola das quinas – recordação transformada em prazer indizível sempre que a torna a vestir para receber quinhão igual nas alegrias e tristezas dos que lutam com ciência e coração em defesa das cores nacionais!

A esposa de Juca diz…

É sempre curioso ouvir a esposa de um futebolista sobre o valor, características e actuação de seu marido. Opinião delicada, aliás, mas sempre curiosa e de maior interesse, ainda, quando manifestada, sinceramente, por conhecedoras do ambiente que põem de lado o coração e apenas dizem o que os olhos vêem.

Assim… que pensa D. Cesaltina Cernadas Pereira acerca de Juca? Para esta pergunta terão muitos já aí resposta imediata, sob a língua… «Ora! – que há-de pensar a própria esposa de um jogador de futebol… Que é o melhor do Mundo!» Não. O seu parecer, revelador de quem sabe o que diz, é que…

– Gosto imenso de o ver actuar, como é natural, e considero-o insuperável no jogo de cabeça. E… a minha maior vaidade, neste capítulo da sua vida, é sabê-lo um atleta verdadeiramente honesto! Eis a melhor, a mais expressiva e séria opinião relativa ao excelente jogador.

Para depois da bola… – futuro já delineado

Tenciona Juca praticar futebol ainda durante muito tempo? Até quando? – pretendem saber os seus «fans». Depois… outras interrogações – qual será a ocupação de Juca quando tudo estiver acabado, na altura de arrumar apetrechos e só bulirem recordações? Projectos… quer o «fan» saber… Pois registe-se que Juca, ao mesmo tempo que frequenta rectângulos de futebol como figura de selecção, vai calculando, delineando a sua outra vida aquela em que saberá, oportunamente, integrar-se, logo após o abandono da arte que agora pratica entre palavras e gritos entusiastas de:

– «Ah! Juca… Aí seu Juca!»

Que Juca vença outra vez!…

Ficha do Jogador

JÚLIO CERNADAS PEREIRA (JUCA)
NATURALIDADE – Lourenço Marques.
DATA DO NASCIMENTO – 13 de Janeiro de 1929.
LUGAR – Médio-esquerdo.
ESTREIA NO SPORTING – Reservas, com o Atlético, em Setembro de 1949 e primeiro jogo do Campeonato Nacional com o Estoril, em Alvalade, em 29 de Janeiro de 1950 e com o resultado de 5-1.

Fonte: Ídolos do Desporto

Data: 09/06/1956
Local: Ídolos do Desporto

Artigos relacionados

Subscreva
Notify of
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
0
Partilhe a sua opinião!x
()
x