RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quarta-feira, Novembro 30, 2022

Os Médicos e o Futebol

No dia a seguir ao jogo do Sporting no estádio do Dragão, o único assunto foi a tourada final, e não a jogada que deu origem ao segundo golo, onde a bola passou por todos os jogadores do Sporting, terminando com uma eficácia irrepreensível. Não perdi muito tempo as ver os programas dos especialistas em adivinhar os números do Euromilhões depois do sorteio ter sido realizado. Mesmo assim, a estação de TV paga pelos impostos dos portugueses, teve uma participação habitual de uma senhora com responsabilidades sociais acrescidas, por se tratar de uma médica, a desfiar um rosário de mentiras, e espalhando um cenário de que Lisboa e os sportinguistas são gente da pior espécie. Teve um presidente preso (confesso que não sei qual foi), os adeptos casuals, as claques terroristas, etc.

Esta senhora deveria consultar um colega especialista em recuperação de memória, pois a memória da senhora doutora, é demasiado enublada. Faz lembrar aquele jogo no antigo Estádio das Antas (18.10.1975), onde numa noite de nevoeiro, um apanha bolas marcou um golo com a mão e valeu. Também não se lembra de as equipas serem recebidas no estádio do seu clube, e as queixas de cheiro fortíssimo a NaCIO (Hipoclorito de Sódio); ou daquele jogo contra o SLB, onde bateram nos jogadores (citando os próprios) e fecharam os directores num carro; ou apagar as luzes do estádio na final da primeira Supertaça, porque o vencedor foi o Boavista; ou ver o Paulo José Martins e Pedro Figueiredo da RTP a levar uma tareia e a serem cuspidos  em directo, no final de um jogo (7.3.1993), em que o Porto perdeu com o Famalicão; ou então ouvir uma escuta do presidente do Porto a pedir mais um favor a Valentim Loureiro, e a chamar repetidamente “atrasado mental” a Paulinho, roupeiro do Sporting. Deve ter sido um orgulho desmedido.

Sobre o alegado presidente do Sporting ter chamado o que chamou a Pinto da Costa, é algo que nunca ninguém neste e até noutros países sabia. Só mesmo quem não percebe que esse senhor tem eleições para breve, é que não entende essas palavras superconhecidas e inoportunas, pronunciadas por alguém que chegou ao clube da forma mais obscura possível, protegido por um exercito do nojo, e que não tem feito senão auto promover-se, destratar os sócios do clube, fazendo com que os mesmos tivessem que entrar descalços no estádio que não é dele, insultando-os, violando reiteradamente os estatutos do clube. Porém acha-se com moral para atacar quem quer que seja.

Será que a Ordem do Médicos conhece estes seus membros e respectivas atitudes?

Artigos relacionados