RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quinta-feira, Abril 22, 2021

O Amanhã do Sporting

Vivemos tempos muito felizes e de esperança, não há como o negar, em relação aquilo que vem sendo a recuperação e rendimento da equipa de futebol profissional do Sporting Clube de Portugal, na luta pelo objectivo que nos foge há tanto tempo, tempo demais: o título de campeão nacional.

Os rapazes de verde e branco, na ausência de adeptos nos estádios, têm pintado de verde e branco, por esse país fora, e até com alguma classe, os relvados dos nossos adversários e também de Alvalade. 

A onda verde, na medida do possível, vai ganhando forma em cada lar leonino, onde, todos nós sportinguistas, vamos acreditando que, jogo a jogo, com esforço, dedicação e devoção, no final, atingiremos, todos, a glória.

Julgo ser justo destacar o trabalho de Rúben Amorim, recebido com desconfiança, pelo valor pago e pela sua filiação clubística, mas que, com sabedoria e inteligência, soube aproveitar aquilo que de bom em Alcochete já se fazia e, também, através do discurso e forma de comunicar, proteger o plantel e fazer respeitar o Sporting Clube de Portugal.

A ele, Rúben, devemos um obrigado pela forma profissional como se tem comportado e defendido a nossa instituição centenária, sem margem para dúvidas e, mais um ponto a seu favor, sem demagogias como a de bater no peito e afirmar o seu sportinguismo (até porque não o é).

Mostra ser sério, com carácter e competente, características essas que, quando genuínas, por inerência, defendem no imediato o clube num país que o trata tão mal, tendo em conta a sua enorme dimensão e grandiosidade.

Acho que Rúben, na verdade, não tinha essa noção de grandeza sobre o Sporting Clube de Portugal, e, como homem inteligente que é, está a saber gerir isso de forma a que esteja, mais o plantel, escudado sem a importante presença dos sportinguistas, que, por esta altura, esgotariam todos os lugares disponíveis onde os rapazes fossem jogar, e seriam, serão sempre, a mola real do Sporting Clube de Portugal. 

É bom sentir frustração por empatar sem golos no Dragão, queremos vencer todos os jogos, queremos jogar olhos nos olhos com os nossos adversários, e, como Rúben disse na sala de imprensa “cabe ao treinador dar ferramentas aos jogadores para consolidar o processo ofensivo”, gostamos disso, não há desculpas, assumem-se responsabilidades e nós, sportinguistas,  sabemos reconhecer isso, quer no presente, quer no futuro.

Futuro esse que, acreditado eu na real possibilidade do nosso clube ser campeão, trará, pela primeira vez em duas décadas, a possibilidade de se vir a discutir o amanhã  do Sporting, com a taça já no museu e afastar, de uma vez por todas, aqueles que se escondem atrás de requerimentos que não autorizam cumprir a vontade, democrática, dos sócios, bem como eliminará a já conhecida sentença “querem que o Sporting não ganhe”.

Poderá, nesse amanhã, voltar a discutir-se o Sporting, clube que vai além, muito além, do futebol profissional masculino. Julgo haver maturidade suficiente para aqueles que se preocupam com o Sporting e também para aqueles que utilizaram como slogan de campanha “unir o Sporting”, perceberem que, apesar de uma hipotética vitória no futebol (acredito que será nossa) existem sócios que devem ver respeitadas as suas vontades e documentos que devem ser discutidos (como as contas agora apresentadas) em sede de AG, desta feita, em clima de perfeita paz e harmonia.

Não podem os estatutos do clube andar arredados do clube como o título nacional do futebol, teima em andar. Nem devemos nós, sportinguistas, ficar encandeados com a glória que, para todos como eu, acreditamos que está cada vez mais perto, jornada a jornada.

Façamos do Sporting um grande clube, tão grande como os maiores da Europa, mas saibamos honrá-lo na sua grandeza e não só naquilo que tem mais visibilidade. 

O anterior presidente Bruno de Carvalho, disse, um dia, “O maior filho da mãe que eu conheço no mundo, se for útil ao Sporting, eu aturo-o cem anos, 24 horas por dia. Cem anos”, não acho que no actual conselho directivo e restantes órgãos sociais existam pessoas que sejam filhos da mãe, nem úteis, por esse motivo, remaremos todo para o mesmo lado em busca daquilo que nos foge há demasiado tempo e, em nossa casa, em clima de perfeita harmonia, assim se cumprirem os estatutos, saibamos, com elevação, escolher o amanhã do Sporting Clube de Portugal.

Acreditem, rapazes, estamos sempre convosco, não vos deixaremos mais.

Sporting Sempre

Saudações Leoninas

Artigos relacionados