RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quarta-feira, Janeiro 20, 2021

E agora, sócios do Sporting Clube de Portugal?

Não sei bem como iniciar o meu grito de revolta, mas vou tentar ser direto e claro… tão claro como a verdade que está a vir ao de cima.

Chegámos ao final do ano de 2020, no nosso espectro fica a marca de um ano atípico, onde reinou na globalidade uma pandemia que nos devastou, essencialmente psicologicamente. Foi também o ano que marcou o fim de duas longas novelas de 2018, falo claro de Alcochete e do Cashball.

E agora, sócios do Sporting Clube de Portugal?!

Agora, sentado escrevo o que me vai na alma, sinto-me desiludido com grande parte da sociedade portuguesa, sinto uma enorme tristeza pela forma como uma TV/Jornal, uma força política, um sistema corrupto conseguiriam derrubar alguém que tanto fez pelo Sporting Clube de Portugal e pelo desporto português.

Fui, como tantos outros, rotulado de uma espécie de “maluco” por acreditar que tudo o que se passou naquele fatídico dia no Sporting não passava de uma enorme golpada, queriam que Bruno de Carvalho fosse “morto” na praça pública. Com isto ganharam os rivais, pois o Sporting está mais débil, com isto tudo a elite que gira em torno do Sporting Clube de Portugal afincou as garras à herança pesada, ganharam os interesses dos “mendilhões” e dos abastados falidos, aquele grupo dos almoços e jantares em certos restaurantes.

E agora, Sportinguistas?

Já acordaram? Já sentiram o que foi todo um ataque político ao Sporting Clube de Portugal, já sentiram como nos foi roubado um título que merecíamos ter festejado? Seria o primeiro de muitos consecutivos, o primeiro de uma Era de Sportinguismo Puro!

A verdade está aí, aos vossos olhos, não tenham medo e façamos justiça. A justiça com nível, com democracia (não é dr. Rogério Alves?!) e vamos para Assembleias Gerais, decidamos nós, sócios do Clube o que queremos, sem manipulações, sem tapar de olhos, sem códigos, somente com sentimento e fervor Sportinguista.

O Sporting é muito maior que um grupo de influentes na política/justiça/sistema, o Sporting é dos sócios.

E agora já sabem tudo o que se passou naqueles bastidores em 15/16?

Agora, queremos justiça!

Faço agora três pontos essenciais no meu grito…

Órgãos Sociais do Sporting, o vosso ego deixa a nu toda a podridão que reina na vossa gestão, o Sporting tem um accionista máximo que são os sócios e esses não vos querem aí. O vosso amadorismo é tamanho como os negócios feitos no futebol (negócios, não estou a colocar em questão o valor de qualquer jogador);

Núcleos e Claques, são a força viva do Sporting, a vossa história, amor e dedicação a este clube são vitais para o mesmo.

Bruno de Carvalho… OBRIGADO! A dor, o sofrimento, o amor por este clube fará com que voltes pela porta Grande. A luta diária deles foi em vão, ganhaste, e sabes porquê? Sempre estiveste do lado certo, não entraste em jogos de xadrez, jogadas de bastidores e o teu foco sempre foi o teu amor pelo Sporting. Recarrega baterias, o teu tempo está a chegar!

Este é o grito, de alguém que quer o Sporting Campeão, um Sporting Sportinguistas tão grande como os Maiores da Europa!

Agora gritemos todos juntos,

Viva às claques que apoiam este clube,
Viva aos núcleos que são mais uma das maiores forças do clube,
Viva ao Amor que as nossas gerações nos transmitiram,
Viva a Verdade dos factos e a Justiça,

Viva o Sporting Clube de Portugal!
SERÁ NOSSO OUTRA VEZ! 

Artigos relacionados

3 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Teresa Galamba

O vosso sentimento é o meu .Subscrevo inteiramente o texto.
Os sportinguistas mais distraídos que leiam porque está genial. Obrigado.

Passos de Araújo

Texto fantástico, sem agressões verbais, realista, autêntico, actualizado, melhor seria impossível. Só não acredito na Justiça, embora acredite em alguns juristas e juízes. Vamos em frente. Parabéns pelo texto de excelência.

Teresa Galamba

Excelente. O meu sentimento é o mesmo aqui explícito. Está na hora e já não há desculpa.
Rogério Alves que dê a voz aos sócios. Basta