RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quinta-feira, Abril 22, 2021

Capas de Engano: Holdimo, Álvaro Sobrinho e Godinho Lopes

A entrada de capital da Holdimo no SCP teve lugar em finais de 2011. Vinte milhões de Euros, pedidos por Godinho Lopes, cedendo em troca percentagens de passe de inúmeros jogadores. 

Um total de 34 jogadores tinham os seus passes alienados a vários fundos – Sporting Stars Fund (BES), Quality Football Ireland Limited (Peter Kenyon e Jorge Mendes) – sendo que um dos detentores era também Álvaro Sobrinho, contrapartida pelo empréstimo pedido por Godinho Lopes. 

Foi apenas em Novembro de 2014 que se conseguiu alcançar com sucesso a recuperação da esmagadora maioria de passes. 

A investigação incide sobre a origem do dinheiro da Holdimo. 

Ao ser feita investigação à origem, é traçado um “mapa” de todas as formas que adquiriu, para enquadrar a história com princípio, meio e fim.   

A conversão do dinheiro em capital da SAD não teve qualquer (entrada de) influxo financeiro. A origem da dívida e o dinheiro da Holdimo é o que está em investigação. 

A seguinte capa do Correio da Manhã de hoje é por isso um engano manifesto aos consumidores, numa peça depois assinada por Tânia Laranjo e Débora Carvalho. 

Esperamos que entre no processo em tribunal contra o jornal:

Primeiro vai ele (BdC) pro *****, e a seguir vão vocês (sócios)

Álvaro Sobrinho, na Altice Arena no início da AG de destituição de Bruno de Carvalho. 

Os sócios do SCP rejeitaram um projecto de reestruturação financeira que iria reduzir a percentagem de Álvaro Sobrinho na SAD a menos de 10% (1/3), concretizada essa rejeição com a destituição a 23/6/2018, num plano para tornar o Clube detentor de 90% da SAD, entretanto rasgado. A 6 de Setembro de 2018, na TVI, Álvaro Sobrinho assumiu que se reuniu com duas pessoas que lhe apresentaram “o projecto”: José Maria Ricciardi e Frederico Varandas. 

As pessoas que estiveram comigo e apresentaram as suas ideias foram o Dr. Frederico Varandas, que apresentou como presidente da Assembleia Geral o meu advogado, o Dr. Rogério Alves, e o Dr. José Maria Ricciardi” 

Álvaro Sobrinho – TVI

Em caso de dúvida, perguntem ao isento e bem informado José Alberto Carvalho, cujo semblante era de felicidade neste caso, ou a todos os canais televisivos que lhe deram cobertura como se repentinamente de um estadista se tratasse. Foram de facto momentos negros da autoria da imprensa nacional. 

De notar que é a primeira vez que Álvaro Sobrinho quebra o silêncio, não se tendo preocupado pelo recorde de derrotas da época transacta, vários treinadores, vendas a saldo, adiantamento de receitas, compras parceladas, e muitas outras coisas. Bem, em bom rigor, não quebrou o silêncio: foi a PJ. 

De notar ainda o silêncio do clube face a tudo o que diga respeito o rival SLB, por mais grave que seja, e como não se preocuparam em informar os associados ou rebater insinuações de ontem. Recordam a comunicação violenta em Novembro de 2019 devido à revelação do cargo em Odivelas? Leiam o ponto cinco, e comparem. 

É o grau zero da dignidade. 

Fonte: https://tribunaexpresso.pt/sporting/2019-11-16-Sporting–Ataques-a-Varandas-sao-ataques-de-quem-perdeu-e-nao-sabe-que-perdeu.-E-inveja-odio-ressentimento-e-frustracao

Artigos relacionados