RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Sábado, Setembro 19, 2020

O Caminho

Poderia muito bem fingir que esta gestão não me afecta, ligar a TV e respirar livremente com os comentários encomendados das cartilhas, inclusive por esta direcção de “bons falantes”.

Mas não consigo, desde menino que me foram incutidos valores de inconformismo, obrigando-me sempre a ser meticuloso na informação, de forma a poder sair independente do outro lado e seguro das minhas posições.

A entrada deste conselho directivo no nosso Sporting e a forma como foram lá “colocados” por si só deviam ser suficientemente esclarecedores de que devíamos encontrar o máximo de informação possível e tomar as devidas acções, mas ao contrário do esperado, “fomos” levados a acreditar numa enorme mentira muito bem organizada, porque como todos sabemos, quem controla os media, controla o povo.

Deixando de lado o “romantismo” e coração de lado, passo a explicar o que me leva a dizer tudo isto:

Sabemos perfeitamente (e aqui penso estarmos todos em “união”) que o CD de Bruno de Carvalho entrou quando realmente o nosso clube se via num buraco sem fundo e sem remendo, com dívidas a tudo e a todos, passes de jogadores com poucas percentagens e alguns outros penhorados, terrenos vendidos, e, difícil de acreditar eu sei, até contas de água estavam atrasadas.

Tivemos uma recuperação financeira difícil de acreditar ser possível, no espaço de tempo em que foi feita, mantendo a equipa de futebol a lutar pelo título nacional e com contínuas entradas na liga milionária.

Mas deixemos esses FACTOS de lado, já todos os conhecemos, olhemos então para o texto lançado pela “prestigiada” comissão de Gestão em 2018 no R&C da altura.

Os “trágicos eventos” foram descritos numa época onde perdemos a entrada na Champions na última jornada, uma final da taça perdida e uma vitória em toda linha nas modalidades de pavilhão.

A Comissão de Gestão (numa outra altura poderei escrever tudo o que acho sobre a sua entrada e forma como entraram) foi o iniciar de um retorno ao passado, era suposto terem mantido apenas a gestão corrente do clube até que nova direcção fosse eleita, controlando os pagamentos de salários e dívidas a fornecedores deixadas, porque elas existem em todos os clubes, e principalmente porque uma direcção foi retirada a meio do seu mandato, e nem a possibilidade de fechar uma importantíssima reestruturação financeira lhes foi permitida.

Aqui já todos devíamos ficar esclarecidos, que NUNCA poderia ser do melhor interesse do clube o que estava a ser feito, porque por mais guerras entre adeptos que exista, o que devia estar no horizonte de todos devia ser o SPORTING, e parece que isso se esfumou durante essa “golpada”, já não parecia ser do interesse de ninguém, mas sim exteriorizar ódios de estimação criados por uma comunicação social sem qualquer independência jornalística, mas isso fica para outra oportunidade.

Terá alguma lógica (se as pessoas se informassem antes de formar juízos de valor) que uma Comissão de Gestão fizesse retornar jogadores ao clube, que rescindiram sem uma justa causa sequer estar analisada pelos representantes ao momento da instituição? Sabiam ao menos os adeptos que Juan de Diaz Crespo estava contratado para resolver esse mesmo assunto, sendo ele o mais bem cotado advogado de direito desportivo, o mesmo que resolveu o caso do Shakhtar Donetsk sobre os jogadores brasileiros que apresentaram justa causa quando a cidade estava a ser bombardeada?

Será também bom recordar todos que nunca um jogador de futebol ganhou uma causa destas, e ainda antes do caso de Rafael Leão nos vir dar razão já era pública esta informação que aqui deixo a todos e que apenas em casos de salários em atraso se deu razão a atletas, porque se assim não fosse, a indústria iria mudar para sempre, poderia dar como exemplo o jogador Neymar, que custou 222 milhões ao PSG e bastava ele arranjar uns “meninos” que fossem lá a casa com camisolas do PSG partir umas coisas e ele indicar não ter condições para ficar, só peço que PENSEM.

Então fica a pergunta, porque motivo mandamos ao lixo milhões de euros em clausulas e ainda fomos pagar para fazer retornar quem de forma tão desprovida de profissionalismo saiu do clube?

Seguindo… Chegamos agora a uma avaliação onde cada vez mais adeptos se começam a questionar, e não devia ser só na desgraça que isso devia acontecer, mas sim antes de ver o clube a decair, desportivamente e financeiramente, tornando o futuro uma incógnita, porque não é todos os dias que se levantam clubes desta dimensão em tão pouco tempo como foi feito no passado.

Temos dois anos de Varandas e R&C, dois anos de discursos miserabilistas e amostras reais de como nos afastamos da competitividade desportiva e financeira para começarmos a gerir o clube com desculpas escondendo a nossa ineficácia de gestão.

Mensagem abertura R&C 18/19:

Mensagem abertura R&C 19/20:

Tentarei futuramente ser mais específico quanto aos assuntos ou tópicos, mas neste meu primeiro texto decidi generalizar, pelo meu estado de espirito assim como abranger um todo, que terá fundo, esperemos que não seja o de declínio mas o de especificidade.

Olhemos agora para o que muitos apelidaram de “Herança Pesada”:

Após a saída do CD presidido por Bruno de Carvalho e as saídas dos jogadores que rescindiram com o clube, o Valor de Mercado do Plantel encontrava-se nos 211 milhões, “perdendo” 48 milhões nessa altura no valor de mercado dos jogadores, valor esse que NUNCA poderemos calcular como sendo o valor real de cada um, esse estaria estipulado na venda possível a ser feita pela presente direcção.

Chegando ao término da época passada (19/20) o Valor encontrava-se quase 100M abaixo, nos 98M, voltando a subir para 168M ainda assim, perto de 70M “perdidos” em mais-valias, apenas porque os jogadores formados no clube que subiram ao Plantel na época desportiva transacta se tornaram “cotáveis”.

A formação já lá estava, os mais valiosos já lá estavam, os sócios já lá estavam, por favor não destruam o que custou tanto a reconstruir.

E com isto pretendo chegar onde? Ao presente que vemos, onde apenas amadorismo reina no clube, onde mais-valias não se criam mas se desperdiçam por valores cómicos, onde se compram Treinadores por 10…12…14M descurando fornecedores (que são pessoas com vidas a gerir) a qualidade do Plantel, e nos enchemos de excedentários, de época para época, onde a competitividade já não existe e a sustentabilidade fica toda em causa, sendo este um clube que temos de garantir futuro com alicerces financeiros e desportivos capazes de assegurar mais sócios, mais mobilização dos adeptos, mais SPORTING.

Não me alongando mais, deixo apenas esta frase: Os nossos ódios deviam ser suportados apenas e só pelo que faz mal ao nosso clube, e isso resume-se a competitividade desportiva e estabilidade financeira, NADA MAIS!

SL

Hugo Zen

Artigos relacionados

Subscreva
Notify of
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
0
Partilhe a sua opinião!x
()
x