RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Domingo, Setembro 20, 2020

Os Apoquentadores do Sporting ou a vingança do Campo Grande Football Club

Uma novela by Rugido Verde

Interpretes: Rogério Alves, Frederico Varandas, João Benedito, Hugo Viana, Jorge Mendes, William Carvalho, José Maria Ricciardi, Miguel Poiares Maduro

Menções: Jorge Jesus, Rúben Amorim, Filipe Soares Franco, Luís Filipe Vieira, Rui Patrício, Gelson Martins, Daniel Podence

Capitulo I – O Presidente

Rogério acordou cedo, tinha muito trabalho a fazer, a chuva que caia lá fora não o preocupava, a pandemia de coronavírus permitia-lhe o descanso de laborar no recato do lar.

Primeiro que tudo, precisava de falar com o seu principal subalterno, estava-lhe a ser cada vez mais difícil aguentar Frederico Varandas. Tinha de fazer um ponto de situação e preparar-se para o inevitável: a sua queda. Era necessário começar a pensar no seu substituto.

Pegou no telefone e fez a ligação.

– Fred, bom dia! Então como é que esse defeso está a correr? Já sabes que não podes contratar grande qualidade!

– Bom dia chefe. Está tudo sob controlo. Tenho, com a ajuda do Jorge, uns coxos assinalados e alinhavados, combinámos especificamente trazer bons clientes para a minha clínica, nunca a mesma esteve tão próspera, tenho de lhe agradecer mestre! Olhe, ainda ontem marquei a escritura para a minha próxima mansão de luxo! Jamais lhe conseguirei agradecer tudo o que tem feito por mim!

– Não precisas de agradecer Fred, fazes parte dum plano maior, muito maior, acabar com o Sporting Clube de Portugal e fazer finalmente renascer o nosso Campo Grande Football Club! E tu já sabes, terás sempre um lugar reservado na nossa mesa. Mas olha devo-te avisar que me está a ser cada vez mais difícil segurar-te!

– Então chefe, que se passa? Não me diga que aqueles chatos dos sócios andam outra vez a fazer barulho? Fartinho dessa gente, o Filipe é que tinha razão. Isto agora com o coronavírus estão proibidas as manifestações e as concentrações, eles que tenham mas é juízo!

– Pois Fred, mas tu não disfarças nada, já és o pior presidente da história do clube, começa a ficar difícil segurar-te, sucedem-se os pedidos de Assembleias Gerais, algum dia vou acabar por ter de convocar uma. E aí não tens hipótese. Vou falar com o João, ele tem de se começar a preparar.

– Ok chefe, olhe, assim sendo vou falar com o Jorge a ver se alinhavamos os últimos detalhes para a próxima época, faço questão de deixar tudo pronto para quando o João tiver de entrar.

– Força Fred, mas vê lá, não queremos descer de divisão, apenas desvalorizar o máximo possível, que o comprador não quer gastar muito!

– Combinado, chefe!

Rogério Alves desligou e procurou na lista telefónica o número de João Benedito.

– Alô, João? Aqui Rogério. O que andas a fazer? Olha, estás quase a entrar em cena!

– Acha chefe? Então agora a prioridade não era o i-voting? E a AG do orçamento? Acha que não dá mesmo para aguentar o Fred mais uns tempos? Preferia entrar em cena mais tarde.

– Eu vou tentar João, mas não prometo nada. Seja como for foi boa ideia mandares o Miguel avançar com aquela cena da revisão dos estatutos.

– Obrigado, chefe. Eu estou preocupado é que o Fred acabe com o Futsal, bem sei que é necessário acabar com as modalidades, mas o Futsal é a minha modalidade, e para todos os efeitos sempre é um futebol, dentro de portas é certo, mas é. E tenho a certeza que o comprador não se importa de manter o Futsal, até porque depois tem o Pavilhão e certamente que o pavilhão não vai servir só para as galas e beberetes!

– Não sei João, isso é algo que veremos mais à frente. Agora estou mesmo preocupado é com o i-voting. Temos de fazer passar isso, depois tudo se torna muito mais fácil. O Miguel dizer que isso não é uma prioridade foi de génio! Bem, mas agora tenho de ir, fica bem João, cuidado com o covid, fica seguro!

– Fico chefe, abraço, até à próxima.

Rogério Alves desligou o telefone e olhou para o molho de papéis à sua frente na secretária. A maioria eram requerimentos dos sócios, pedidos, queixumes. “O Fred tem razão, esta gente é chata, são umas melgas sem igual, só me dão dores de cabeça, tenho de estar aqui a todos os dias a desencantar mecanismos legais para os mandar passear”.

Capitulo II – O Substituto

João Benedito desligou a chamada de Rogério Alves e procurou de imediato o número de Miguel Poiares Maduro.

– Tou, Miguel?

– Sim, diz João.

– Epá, o Rogério avisou-me agora, estamos quase a entrar em cena!

– Boa. Não lhe invejo a sorte. Vai ter de arranjar maneira de marcar a AG do i-voting mas fazer isso antes do Frederico cair. Espero é que ele depois não faça como na Bielorrússia, lá o ditador de serviço dá demasiado nas vistas, 80%? Ahahahaha.

– Pois, isso já não é comigo, era só para te avisar! Abraço!

– Xau, fica bem.

João Benedito decide então falar com Frederico Varandas. Chega à conclusão que não tem o número dele e manda uma mensagem por WhatsApp a José Maria Ricciardi.

– Zé, preciso do número do fivelas, tens?

Uma hora depois

– Jony, isso é maneira de se falar no WhatsApp? Olha que eles estão à espreita, viste bem como foi com Alcochete. Vou-te enviar por SMS privada. Abraço.

João Benedito liga de imediato a Frederico Varandas.

– Tou? Fred? Tás quase a sair de cena páh!

– João? Tou? Calma João, João, espera, quem te disse isso?

– Já foste páh, o Rogério vai-te deixar cair, o ruído é cada vez mais ensurdecedor, não há volta a dar. Olha, da minha parte não te podes queixar, fiz-me de morto e deixei-te fazer toda a porcaria que quiseste!

– Porcaria? Qual porcaria? Foi tudo feito com cabeça. Muita cabeça. Cabeça, pernas e membros.

– Eu sei Fred, tinha de ser assim, mas deste demasiado nas vistas, devias ter sido mais inteligente. Mas olha, isso agora não interessa para nada, só te quero pedir que deixes o Futsal em paz òviste?

– Futsal em paz? Porque raio de carga de água João? João, ouve, vou destruir tudo João, tás a ouvir? Tudo!

– Pois, ‘tá bem.

E João Benedito resolveu desligar. A sua hora estava a chegar.

Capitulo III – O Subalterno

Frederico Varandas atirou com o telemóvel para cima do sofá e pensou para com os seus botões. “Já fui? Tá bem tá. Eles sabem lá, o meu trabalho ainda não está feito, vou ser o pior presidente do mundo de sempre, vou ficar nos anais da história, serei relembrado pelas gerações futuras, os sportinguistas jamais esquecerão! Por falar em trabalho, vou ligar ao Jorge”.

– Jorge, como estás? Tens conseguido fugir ao Covid, Jorge? Esse sacana. Bem nos salvou, com ele e a pesada herança sou imbatível! Olha como estamos de reforços Jorge, lembra-te que podes trazer o entulho todo que quiseres! E olha não te esqueças Jorge, muitos coxos para a minha clínica, ok?

– ‘Tá descansado, já tens o guarda redes, o Antunes, aquele marroquino e o Porro. Queres mais? Vê lá que ainda desces de divisão hehehe. Mas olha, agradeço a disponibilidade. Agora está mais difícil colocar no Toupeirense, que o Luís está apertado para as eleições e precisa de jogadores como deve ser.

– Olha por falar nisso Jorge, vê lá se dás uma mãozinha ao Jesus com o Cavani, precisamos deles fortes!

– Não é preciso Fred, eles já vos vão dar um monumental baile só assim como já estão!

– Pois sim Jorge, mas prefiro não arriscar, já sabes que gosto sempre de jogar pelo seguro!

Frederico Varandas desliga e liga a Hugo Viana.

– ‘Tou? Hugo? Olha acabei de falar com o Jorge, como estás? Espero que te estejas a safar, este covid não anda para brincadeiras.

– ‘Tou bem, chefe. Ando a ver casas e carros novos, esta posição que me arranjaste tem sido proveitosa!

Frederico Varandas olhou para o site onde estava a ver iates e sorriu.

– Olha vê lá se falas com o Rúben, ele anda um bocado chato a dizer que quer reforços como deve ser e o catano, já parece os sócios, o Jorge se calhar não lhe explicou bem a função dele aqui. Estes lampiões são sempre a mesma coisa, Acham que mandam alguma coisa.

– Mas ele manda chefe, é o treinador, lembra-se?

– Sim Hugo, lembro-me, mas tem de orientar com o que lhe dermos, só prometemos a manutenção Hugo, mais do que isso não pode ser.

– Sim chefe, ele já sabe. E vai puxar bem por eles para depois terem de ir à sua clínica. Entretanto o Jorge conseguiu-nos aquele gajo do Famalicão.

– Vê lá não vá esse gajo ser bom Hugo! Não nos podemos dar a esse luxo, seria uma não conformidade!

– Tranquilo chefe, está tudo sob controlo. Já lhe prometi a pior classificação de sempre na liga não já? Esse recorde que lhe falta. Cumpri bem com as derrotas nesta época que acabou não foi?

– Certo Hugo, olha Hugo, agora tenho de desligar, tenho aqui outra chamada!

Frederico desliga e olha para o ecrã antes de atender. Era William Carvalho, um dos principais pontas-de-lança do golpe que lhe permitiu chegar ao poder e cumprir dessa forma o seu desígnio de vida: a ruína do Sporting Clube de Portugal e o renascimento em glória do Campo Grande Football Club.

– WC, como estás meu caro? Tudo bem aí em Espanha? Os casos estão a disparar outra vez William, se calhar está aí a segunda vaga, William! Tens de ter cuidado, William!

– Era mesmo sobre isso que lhe queria falar patrão, o Jesus convidou-me para ir para o Toupeirense com ele, posso ir?

– Não William, não podes, ‘tás maluco ou quê? Então numa altura em que aqui os sócios andam cada vez mais assanhados sais-te com uma dessas William? William, tu tem juízo páh!

– Patrão, eu se quiser vou!

– William, não vais a lado nenhum, mau! Tu vê lá no que te metes William, olha que eu sei muito sobre ti! Desgraço-te a carreira, William!

– Calma patrão, estou-lhe muito agradecido, mas isto aqui para além de estar cheio de covid ando a lutar para não descer de divisão e para além disto quero ser campeão em Portugal!

– Tu tem calma rapaz, cada coisa a seu tempo, quando vendermos a SAD voltas para cá, até lá pede ao Jorge que te meta no Wolves ou no Valência!

– Está bem patrão, mas despachem-se lá com isso, qualquer dia tenho de acabar a carreira e depois nada feito!

– Tranquilo WC, está quase quase, olha cumprimentos ao Rui, ao Podence e ao Gelson se os vires, sem vocês nada disto seria possível!

Frederico Varandas desligou e sorriu. Estava tudo a correr às mil maravilhas. “Que palermas aqueles sócios, foi tudo tão fácil, fácil!”

Artigos relacionados

1 Comentário
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Teresa Amaro

Nem sei o que dizer. Simplesmente espectacular. Parece tudo tão real ou é imaginação? Isto é a mais pura realidade.