RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Segunda-feira, Julho 06, 2020

Em época de santos populares valha-nos São Jovane!

Sporting 1-0 Paços de Ferreira

Nesta rápida reta final do campeonato nacional, o Sporting voltava a jogar em Alvalade, mas desta vez sem os seus adeptos nas bancadas, fruto das obrigações impostas pela DGS. Após um empate pouco saboroso em Guimarães, o adversário desta jornada seria o Paços de Ferreira. A equipa treinada por Pepa ocupava um preocupante um 16º lugar, ou seja, na luta pela permanência, ainda que tenha dado boas indicações na última jornada com uma vitória frente ao Rio Ave.

Rúben Amorim já tinha avisado que a aposta em Matheus Nunes seria para continuar, mas o mesmo aconteceu com Eduardo Quaresma que esteve muito bem no jogo em que se estreou. Outra das grandes novidades no onze inicial para este jogo foi as inclusões de Borja e Wendel. O primeiro não tem sido regular nas opções de escolha dos técnicos anteriores. Já em relação a Wendel, esteve lesionado durante as últimas duas semanas e falhou o primeiro jogo pós-retoma, regressando agora para o miolo do terreno.

A primeira parte teve pouca emoção. Jogo disputado a meio campo, com maior posse de bola do Sporting, mas sem criar grandes ocasiões.

Apenas uma exceção aos 37 minutos, quando Sporar esteve perto do golo. Passe soberbo de Luciano Vietto a meio campo isolando o avançado esloveno. Com cerca de 35 metros para correr, Sporar chegou à entrada da área ainda em boa posição para finalizar (mesmo com Maracás a morder-lhe os calcanhares), mas o remate saiu torto, ao lado da baliza de Ricardo Ribeiro.

Terminou a primeira parte com uma igualdade a zero perfeitamente justificada. Poucas oportunidades durante os 45 minutos, com a tal exeção no remate de Sporar.

A segunda parte começa com uma oportunidade muito perigosa para o Sporting. À passagem dos 48 minutos, Jovane, com uma espetacular jogada individual, passa em velocidade por dois oponentes e cruza ligeiramente atrasado, com Sporar a não conseguir chegar à bola.

Aos 63 minutos, Wendel sofre uma falta à entrada da área após um slalom impressionante. Na marcação do livre Jovane faz um golaço! A bola ainda bateu na barra e depois na relva, mas ultrapassou mesmo a linha final. Um grande golo de um jogador que se tem destacado imenso nestes primeiros jogos com Rúben Amorim.

Aos 78 minutos valeu Max ao Sporting! Novamente numa bola parada, o Pacense Douglas Tanque rematou com força e rasteiro para uma atenta intervenção para o lado do jovem guardião do Sporting. Na recarga, João Amaral remata cruzado para nova intervenção de Maximiano.

O Paços de Ferreira tentava tudo para chegar ao golo nos últimos minutos e já na compensação, Pedrinho tem uma boa oportunidade num remate de muito longe que sai muito perto da barra da baliza de Max.

A última oportunidade do encontro coube ao Sporting. Mais uma vez Jovane Cabral a fazer uma arrancada impressionante (aos 97!!), fletiu para o centro do terreno e fez um remate fortíssimo com a bola a embater com estrondo na barra da baliza, mas desta vez sem entrar.

Três pontos! É o que melhor se tira deste retorno a Alvalade, juntamente com a grande exibição de Jovane Cabral. Na próxima jornada o Sporting voltará a jogar em Alvalade desta vez frente ao Tondela.

Análises Individuais:

Maximiano (Nota 7) – Fez uma boa exibição e foi importante para manter a vantagem leonina. Esteve em destaque, por exemplo, com uma dupla intervenção aos 78 minutos.

Eduardo Quaresma (Nota 6) – Mais um jogo positivo de Quaresma. Não se amedronta e joga de forma segura e confortável.

Coates (Nota 6) – Na ausência de Mathieu é claramente o patrão defensivo da equipa. E esteve a bom nível. Fez alguns importantes cortes de cabeça e manteve a solidez na linha mais recuada.

Borja (Nota 6) – Foi uma das novidades e não desiludiu. Esteve certinho, sem inventar, e ajudou a equipa a segurar a vitória. Esteve ainda num lance em que o Paços pediu penalty, mas com recurso ao VAR o árbitro Rui Costa recuou na sua decisão.

Camacho (Nota 5) – Ainda se está a adaptar ao seu novo papel como ala. Começou bem com um remate logo aos 7 minutos, mas foi-se apagando ao longo dos minutos.

Acuña (Nota 5) – Fez um jogo esforçado mas não esteve particularmente em evidência. Saiu aos 72 minutos.

Matheus Nunes (Nota 5) – Melhorou relativamente ao seu primeiro jogo mas ainda longe relativamente ao que promete. Saiu depois de ficar amarelado.

Wendel (Nota 6) – Regressou à equipa após lesão e foi determinante, desde logo porque ganhou o livre que deu origem ao golo. Foi também importante na gestão da bola a meio campo, juntamente com o também “canarinho” Matheus Nunes.

Vietto (Nota 5) – Saiu lesionado aos 44 minutos mas ainda foi a tempo de fazer uma assistência excecional a Sporar aos 38 minutos.

Jovane Cabral (Nota 8) – O MVP novamente. Depois de um grande jogo em Guimarães, hoje voltou a estar num plano superior a todos os outros. Marca um grande golo e dá a vitória, mas também está em outros lances muito relevantes do encontro, como uma bola ao poste já praticamente no fim.

Sporar (Nota 5) – Teve uma grande oportunidade aos 38 minutos e passou ao lado no resto do jogo.

Gonzalo Plata (Nota 4) – Entrou ainda antes do intervalo para o lugar de Vietto. Nada acrescentou.

Nuno Mendes (Nota 5) – Outra estreia promovida por Amorim. Desfrutou de 20 minutos em campo.

Eduardo Henrique (Nota 5) – Substituiu Matheus Nunes com a missão de segurar o meio campo. Cumpriu.

Francisco Geraldes (Sem avaliação) – Entrou aos 83 minutos com o objetivo de manter a bola no ataque, mas não conseguiu.

Rúben Amorim (Nota 6) – Num jogo morno, sem um grande interesse, valeu-nos os três pontos. Ainda assim um elogio ao treinador do Sporting pela coragem em apostar em vários dos jovens da academia, já a preparar o futuro.

Artigos relacionados