RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quinta-feira, Maio 28, 2020

(In)qualificável!

İstanbul Başakşehir 4-1 Sporting (Após prolongamento)

No prólogo da segunda mão dos dezasseis-avos-de-final da Liga Europa, o cenário estava bem adiantado para o Sporting. A vitória por 3-1 em Alvalade trazia alguma confiança, não obstante o golo obtido de penalty pela equipa turca na segunda parte do jogo.

Jorge Silas promoveu algumas alterações para este encontro. Destacaram-se as reentradas de Acuña, Ristosvski e Coates na defesa e Bolasie no ataque. Surpreendente foi também a saída do onze de Plata, depois de ter feito um grande jogo frente ao Boavista. Perante uma vantagem de dois golos, o treinador leonino pretendia, previsivelmente, resguardar o extremo equatoriano, colocando-o apenas se necessário.

Os primeiros minutos foram de domínio do İstanbul Başakşehir, que tinham obrigatoriamente de marcar golos para acalentar uma passagem de eliminatória. A equipa turca foi crescendo e criando algumas ocasiões flagrantes, como é exemplo um cabeceamento de Aleksic aos 8 minutos e um remate de Demba Ba para uma importante intervenção com o pé de Max. Já o Sporting, num dos jogos mais importantes da época, limitava-se a olhar…

Aos 31 minutos a equipa de Istambul acaba por chegar à vantagem. Na sequência de um canto, Demba Ba aparece ao primeiro poste para fazer o primeiro cabeceamento, respondendo Max a mostrar bons reflexos e defendendo para a frente. Na recarga a bola sobra para o experiente Skrtel que cabeceia de cima para baixo, fazendo a bola passar entre as pernas do guardião leonino.

O Sporting tentou responder de imediato e, alguns minutos depois, teve uma grande oportunidade por intermédio de Acuña. Também no seguimento de um canto, a bola sobra para o lateral argentino, que à entrada da área tira um homem do caminho e remata para uma grande defesa de Gunok.

E aos 44 minutos, quando já se pensava no intervalo, eis que acontece o pior cenário possível ao Sporting. Na marcação de um livre direto bastante descaído para o lado direito do ataque turco, Danijel Aleksic faz um grande golo, com a bola a entrar ao canto superior direito da baliza de Max.

O jogo ia para o intervalo com uma realidade bastante cinzenta. Uma eliminatória que parecia estar perfeitamente controlada, estava agora em risco depois de dois golos sem resposta da equipa de Istambul.

A segunda parte, como não podia deixar de ser, começou com sinal mais dos leões. Logo aos 46 minutos, após um rápido contra-ataque conduzido por Vietto, o argentino lança Bolasie no lado direito. O congolês cruza e devolve a bola ao avançado que remata já em desequilibro mas para uma grande defesa do guardião turco.

O İstanbul Başakşehir, mesmo em vantagem, não deixava de espreitar um terceiro golo. Aos 56 minutos só por milagre é que este não aconteceu quando Demba Ba desperdiça uma dupla oportunidade, no centro da área, permitindo a Max brilhar na baliza do Sporting.

Aos 67 minutos finalmente uma boa notícia para o Sporting! Golo de Vietto! Jogada bem desenhada pelo meio campo do Sporting, com a bola a ser finalmente colocada no flanco esquerdo em Acuña. O Argentino é conhecido pelo seu cruzamento tenso e bem medido e mais uma vez fez a diferença ao colocar a bola na cabeça de Vietto, que tem também um gesto técnico de cabeça notável. Estava na frente da eliminatória novamente o Sporting.

O jogo a partir daqui passava a ter praticamente um sentido único, embora a equipa turca parecesse estar com bastantes dificuldades em encontrar o caminho para a baliza leonina. Aos 81 minutos novamente Aleksic tenta o remate de longe de pé esquerdo, com a bola a passar perto da barra da baliza de Max.

Perto do fim, aos 87 minutos, duas oportunidades de ouro para o Sporting “matar” a eliminatória. Primeiro com um lance individual de grande qualidade de Plata que no final assiste Doumbia, com o costa marfinense a atirar ao poste. Logo a seguir, aos 90 minutos, um remate falhado por Sporar, que tendo espaço suficiente, atira ao lado da baliza, após um passe de Ristovski.

Aos 91 minutos, depois do Sporting estar muito perto do golo, o İstanbul Başakşehir chega ao terceiro golo e empata a eliminatória. De facto não há palavras, após os leões, no seguimento de mais um canto, terem sofrido novo tento. É Visca que remata cruzado com a bola a entrar no fundo das redes de Max, perante a passividade de toda a equipa.

Apitou o árbitro ao fim de 94 minutos, numa eliminatória que ficou empatada. Isto significava que tudo ficaria decidido em prolongamento de 30 minutos ou, em último caso, em grandes penalidades.

Boa oportunidade logo no início do período extra, com um bom cruzamento de Ristovski, para um cabeceamento ligeiramente por cima de Vietto. No entanto, foi o İstanbul Başakşehir que teve praticamente a iniciativa do jogo. Aos 104 minutos, na sequência de um cruzamento do lado direito do ataque turco, a bola é desviada e obriga Maximiano a uma excelente intervenção.

A segunda parte do prolongamento decorreu num ritmo baixo com ambas as equipas a arriscarem muito pouco. Todavia, aos 118 minutos, o pior aconteceu para o Sporting. Num lance aparentemente controlado, Vietto acaba por derrubar Junior Caiçara e cometeu penalty. Na marcação, Visca não dá hipótese e marca o quarto golo que acaba com as pretensões leoninas.

Termina o jogo e uma eliminatória que estava aparentemente controlada para o Sporting. O que se passou na Turquia é apenas mais uma página negra de uma das piores épocas da história do Sporting.

Análises Individuais:

Maximiano (Nota 4) – Quem sofre quatro golos, mesmo sem ter culpa na maioria destes, não pode ter nota positiva. No primeiro golo dos turcos parece mal batido, com a bola a entrar por entre as suas pernas.

Acuña (Nota 5) – Um dos menos maus do Sporting hoje. Fez o cruzamento que dá origem ao golo leonino e ainda criou mais uma ou outra oportunidade de golo.

Ilori (Nota 4) – Não se pode dizer que tenha tido culpas diretas em qualquer dos golos, mas fez parte de uma defesa que sofre hoje quatro golos e que permitiu mais algumas oportunidades ao ataque adversário.

Coates (Nota 4) – O mesmo de Ilori.

Ristovski (Nota 5) – Também foi dos elementos menos “culpados” desta catástrofe. Tentou sempre lutar contra as adversidades e fez alguns cortes importantes para estancar os contínuos ataques turcos.

Battaglia (Nota 5) – Tem sido uma peça importante a meio campo, mas hoje não houve ninguém que tenha impedido uma debacle. Ainda teve uma boa oportunidade aos 89 minutos, mas rematou à figura do guardião adversário.

Wendel (Nota 5) – Foi dos jogadores que mais tentou esticar o jogo, mas sem grande sucesso. Ainda assim é ele que inicia a jogada do golo do Sporting, ao passar para Acuña que posteriormente centra para Vietto.

Jovane (Nota 5) – Não fez a diferença. Ainda tentou o remate por mais que uma vez, mas não esteve nos seus dias.

Bolasie (Nota 4) – Péssimo. Que é trapalhão já todos sabemos, mas hoje nem sequer deu velocidade e rasgo. A única situação positiva em que esteve, foi quando combinou com Vietto aos 46 minutos permitindo ao argentino uma boa oportunidade.

Vietto (Nota 5) – O que dizer desta exibição de Vietto? Teve tudo para ter uma nota positiva, depois do golo marcado e de mais uma ou outra oportunidade que criou, contudo, o penalty feito já no final do prolongamento deitou tudo a perder.

Sporar (Nota 4) – Incapaz de segurar a bola lá à frente. Tem apenas uma oportunidade, quando perto dos 90 minutos atira ao lado, podendo fazer melhor.

Gonzalo Plata (Nota 5) – Entrou apenas aos 60 minutos incompreensivelmente, após uma exibição tão positiva no último jogo. Foi dos elementos mais desequilibradores da equipa e foi dos que menos mereceu este resultado.

Doumbia (Nota 5) – Entrou aos 73 minutos e esteve até em destaque aos 87 minutos quando atira uma bola ao poste após jogada individual de Plata. De resto praticamente não se viu.

Eduardo (Nota 5) – Entrou aos 90 minutos e no lance seguinte o Sporting sofre o terceiro golo, empurrando a decisão para prolongamento. É evidente que Eduardo não teve culpas, mas também foi um jogador incapaz de fazer a diferença a meio campo.

Pedro Mendes (Nota 5) – Jogou 12 minutos. Não aquece nem arrefece.

Jorge Silas (Nota 3) – Ninguém pode estar satisfeito com as exibições desta equipa esta época e desta exibição em particular. Foi mau demais para ser verdade. Um dos jogos mais importantes da época leonina foi encarado de uma forma passiva, sem pressão, sem vontade e com falta de qualidade. O treinador não pode, obviamente, estar isento destas culpas.

Artigos relacionados

2 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
jorge mendes

espero que o 6º lugar dê acesso à liga europeia do berlinde…..

Heineken the Great

Disse aos meus conhecidos que o golo comido em casa ainda ia ditar a eliminação, e como sempre o Campo Grande Futebol Vatangas não desilude. Deve ser da herança ainda.

2
0
Partilhe a sua opinião!x
()
x