RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Domingo, Janeiro 19, 2020

A Fanfarra na TV

Foge, cão, que te fazem barão. Para onde, se me fazem visconde?

Como esperado, a multidão do futebol engalanou-se para ouvir o precioso testemunho do recém-condecorado Jorge Jesus. Houve até direito a fanfarra, com os gaiteiros do costume acotovelando-se em estúdio, num pomposo especial televisivo, a fim de darem a conhecer o início dos festejos.

Trajados a rigor, alguns de sapatilha e calça pelo tornozelo, indumentária muito útil quando se “rega” demais, para passar pelo rio de lama que se cria, lá foram trauteando a sua música.

Uma vez que a Ordem do Infante D. Henrique se destina, também, a galardoar serviços na expansão da cultura Portuguesa, sugiro desde já que todo aquele painel de comentadores seja agraciado com a distinção.

Houve até ensaio de nova cantoria: face ao desespero pela falta de algo que confirmasse o guião da narrativa, eis que o diligente Rui Pedro Brás, secundado pelo noviço Henrique Machado, se jogou avidamente aos braços de um novo tema, para ele absolutamente decisivo e agora apresentado como inédito : a falta de gestão de risco que a estrutura responsável pela segurança leonina demonstrou ter, sabida toda a sequência de acontecimentos que culminou no Funchal.

Segundo aqueles magos da Lógica, é óbvio que Bruno de Carvalho, após ameaçar peremptoriamente os jogadores e ordenar perante várias testemunhas que levassem a cabo o ataque, também coagiu os elementos da segurança a facilitar o processo. E que o “portão escancarado”, a par com a falta de acção destes elementos, prova isso mesmo, sendo que Geraldes deveria ser, por tanto, arguido.

Sabem que mais? Desta feita até concordo, em parte, com esses jograis da bola. Porque realmente houve algumas situações menos claras por parte de quem tinha responsabilidades na matéria. Contudo, gostaria de relembrar a esses amanuenses dos tempos modernos, que a figura máxima da segurança da Academia de Alcochete continua no Sporting.

E, pasme-se, agora até desempenha funções similares no estádio. Porque razão foi musicado o nome de André Geraldes e esquecido o de Ricardo Gonçalves?

Qual a intenção de trazer de novo o mal-amanhado Cashball à baila? Ainda para mais, insinuando um acordo secreto entre MP e Geraldes…

Até quando se permitirá, a estes e outros comentadores encapotados, tecerem considerações baseadas em coisa nenhuma? Qual a diferença entre opinião e jornalismo? Não deveria ser essa fronteira devidamente assinalada pelos mais variados meios de comunicação? O jornalismo, e por arrasto, os jornalistas, não deveriam obedecer a normas éticas?

Artigos relacionados

2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment authors
HULK VERDEjorge mendes Recent comment authors

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscreva  
Notify of
HULK VERDE
Visitante
HULK VERDE

As teorias da conspiração só são “viáveis” se forem inventadas pelo MP ou pela CS. Caso contrário, se forem verdadeiras e comprovadas com factos por qualquer cidadão anónimo, não passam de congeminações efabuladas por utilizadores de chapéus de folha de alumínio.
Quem não conhecer esses propagandistas a soldo, que os compre… até a mãe vendiam, pois a sua alma já a venderam no passado, e por muito pouco.

jorge mendes
Visitante
jorge mendes

jornalixo ao nível das comendas deste bordel. NOJO

%d bloggers like this: