RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Sexta-feira, Setembro 25, 2020

Goleada permite ao Sporting chegar ao Pódio.

Santa Clara 0-4 Sporting

Neste ziguezague de resultados, o Sporting jogou a 14ª jornada da Liga NOS com uma perspetiva positiva, pois com um triunfo ultrapassaria o Famalicão no terceiro posto da classificação.

Depois de um desastre na Áustria, com uma derrota pesada frente ao LASK Linz, o Sporting deslocava-se à Ilha de São Miguel, nos Açores, para jogar com o Santa Clara, equipa com algumas dificuldades na tabela classificativa e que ocupava no início da partida o 14º lugar.

Ao contrário do último jogo em que rodou quase por completo a equipa, Jorge Silas voltava a colocar o seu melhor onze disponível, com destaque para a reentrada de jogadores como Mathieu, Acuña ou Bruno Fernandes.

Início de jogo bastante intenso, com ambas as equipas a quererem disputar o jogo e o resultado. Depois de algumas iniciativas interessantes, a primeira ocasião de perigo ocorreu aos 18 minutos por intermédio de Luiz Phellype. Após um cruzamento fantástico por parte de Bruno Fernandes, o avançado contratado o ano passado ao Paços de Ferreira não corresponde de forma eficaz, atirando torto ao lado.

O Santa Clara, embora com uma estratégia mais de expectativa, tentava a espaços sair para o ataque. Aos 20 minutos conseguiu chegar com bastante perigo à baliza de Maximiano. Após um cruzamento do lado direito em que Mathieu consegue cortar a bola, o esférico sobra para Thiago Santana que rodou o corpo e atirou cruzado de pé esquerdo, saindo a bola ao lado da baliza do Sporting.

A equipa de Alvalade voltou a criar algum perigo aos 28 minutos. Na sequência de um canto marcado curto, Bruno Fernandes arrisca na jogada individual e, chegando sem grande oposição à zona frontal do terreno, não hesita e chuta o esférico rasteiro, estando o guarda-redes Marco bastante atento e a defender com segurança o remate.

Aos 34 e 35 minutos, uma dupla oportunidade por parte do Sporting, que embora com protagonistas diferentes, tiveram um final bastante parecido. Primeiro uma jogada que se iniciou no centro do terreno, com Wendel a libertar para Ristovski. O lateral-direito faz de imediato um cruzamento em arco com a bola a sobrevoar a área do Santa Clara e a chegar a Luiz Phellype que cabeceia por cima da baliza. Pouco depois, na sequência de um lançamento lateral, a bola chega a Bruno Fernandes que faz um cruzamento teleguiado para uma entrada de rompante de Bolasie, que cabeceia de cima para baixo, mas a desperdiçar de forma flagrante um golo que parecia iminente.

Aos 40 minutos e após algumas tentativas, o Sporting chega finalmente ao golo por intermédio do ponta de lança Luiz Phellype! Jogada pelo lado esquerdo do ataque leonino com Acuña a lançar Vietto em profundidade. O criativo argentino, com algum espaço, consegue assistir de forma perfeita Luiz Phellype, que “apenas” teve que colocar a cabeça para finalizar.

Terminou uma primeira parte num jogo positivo por parte do Sporting, ganhando ao intervalo com inteiro mérito. Pedia-se, nessa altura, que a equipa visitante não se acomodasse com a ligeira vantagem e fosse à procura de um resultado mais confortável.

A segunda parte não poderia ter começado melhor para o Sporting, aumentando a vantagem logo no arranque! Após um passe em profundidade de Mathieu, um corte imperfeito de um defesa açoreano permite que a bola chegue a Ristovski. O macedónio, com tempo para pensar no próximo passo, decide cruzar recuado para a entrada de Luiz Phellype que remata certeiro para o fundo das redes.

Logo a seguir, aos 50 minutos, nova grande oportunidade para o Sporting. Novamente através de um canto, Bruno Fernandes combina primeiro com Acuña e depois com Vietto e consegue ainda ganhar uma bola dividida com Thiago Santana, antes de rematar para uma defesa muito apertada de Marco Rocha. Pouco depois, aos 53 minutos, o terceiro golo do Sporting! A equipa verde e branca criava muito perigo através dos cantos e na sequência de novo canto marcado de forma tensa por Bruno Fernandes, Bolasie consegue aplicar um cabeceamento certeiro fazendo um golo excelente e sem hipótese para o guarda-redes.

O Sporting estava imparável e aos 59 minutos, em nova jogada de ataque, Bolasie, numa jogada de insistência, sofre um penalty de Zaidu, sem margem para duvidas. O capitão Bruno Fernandes, com o seu jeito particular de marcar penalties, não perdoa e aumenta o marcador para 4-0.

Após o quarto golo, a equipa do Sporting baixou um pouco o ritmo de jogo, aproveitando para gerir a bola com um adversário já rendido à sua situação. A equipa leonina não deixou, ainda assim, de pregar mais alguns sustos ao Santa Clara. Aos 81 minutos tem a sua derradeira grande oportunidade. Após uma jogada de transição em que Bolasie dança em frente a Zaidu, o congolês entrega a bola a Jesé que à entrada da área consegue fintar dois defesas adversários e isola Vietto que atira por cima, com a bola a tocar ainda na barra.

Foi uma grande partida do Sporting nos Açores, independentemente do seu adversário estar a passar por um momento menos positivo. O Sporting ultrapassa assim o Famalicão e chega ao terceiro posto na classificação. Hoje quase todos os jogadores conseguiram destacar-se e ficou bem explícito para Silas que o onze mais forte não poderá fugir daquilo que foi apresentado nesta partia. Segue-se a jornada das decisões na Taça da Liga, antes de uma pausa natalícia.

Análises Individuais:

Maximiano (Nota 6) – Jogo seguro de Maximiano, numa altura em que (aparentemente) consegue segurar a titularidade da baliza.

Ristovski (Nota 7) – Bom jogo do jogador natural da Macedónia e poderá aqui ter ganho algum espaço relativamente a Rosier. Fez a assistência para o segundo golo e fez mais 2 ou 3 passes que causaram muito perigo. Tentou também ele o golo aos 76 minutos, com um remate cruzado que saiu ao lado. Em termos defensivos deu estabilidade.

Mathieu (Nota 7) – Todos sabemos que Mathieu é uma mais valia e hoje voltou a fazer um jogo muito conseguido. Deu muita estabilidade à defesa e ainda tentou fazer o golo aos 25 minutos, ao rematar de muito longe com a bola a sair perto do poste direito da baliza do Santa Clara.

Coates (Nota 6) – No esquema de polícia bom e polícia mau, Coates tem claramente o papel mais “sujo” do eixo da defesa. Isso não lhe tira mérito, bem pelo contrário. Fez algumas faltas importantes que permitiram terminar o jogo sem sofrer golos.

Acuña (Nota 6) – Jogo positivo de Acuña. Além da combatividade do costume, ainda deu um bom contributo para o marcador. É ele que inicia o primeiro golo, com uma abertura para Vietto.

Doumbia (Nota 6) – Discreto, mas contribuiu positivamente. Tem evoluído a nível posicional e em termos de concentração, dando menos espaços a meio campo e falhando menos passes.

Wendel (Nota 6) – É um jogador que está finalmente a trabalhar mais para a equipa. Não tem medo de lutar pela posse de bola a meio campo e tem sido útil nas transições. A nível individual não fez o seu melhor jogo da época, mas hoje até nem era necessário.

Bruno Fernandes (Nota 8) – Provavelmente o MVP, como de costume. Bruno Fernandes fez mais um grande jogo com um golo de penalty e uma assistência para o golo de Bolasie. Além destes lances decisivos, assinou mais uma mão cheia de remates ou assistências perigosas.

Vietto (Nota 7) – Joga com pés de veludo, mas é um jogador de classe. Faz o cruzamento para o primeiro golo da equipa e está em destaque em mais duas ou três jogadas, como a bola que atira à trave aos 82 minutos.

Bolasie (Nota 7) – Jogou com muita vontade e tentou por várias vezes chegar ao golo. E conseguiu! Marcou o terceiro golo da equipa com uma grande cabeçada na sequência de um canto. Foi também o “causador” do quarto golo do Sporting, ganhando o penalty aos 59 minutos.

Luiz Phellype (Nota 8) – Esteve durante grande parte da primeira metade do jogo bastante perdulário, contudo, como diz Ronaldo, os golos são como o Ketchup. Marcou o primeiro aos 40 minutos e o segundo golo logo a abrir a segunda parte. É um jogador de finalização e nisso é bom, não lhe peçam é muito mais.

Battaglia (Nota 5) – Regresso bastante aguardado depois de muitos meses sem jogar por lesão. Foi o jogo ideal para lançá-lo, quando já havia uma vantagem grande. Ganhou ritmo e não se expôs ao choque.

Jesé Rodriguez (Nota 6) – Entrou aos 71 minutos e ainda esteve em evidência numa jogada em que assiste Vietto, rematando o argentino à barra da baliza do Santa Clara.

Eduardo (Nota 5) – Entrou aos 77 minutos e ajudou a gerir a vantagem.

Silas (Nota 8) – Se no jogo passado foi, justamente, muito criticado, neste jogo é preciso dar todo o mérito ao treinador Jorge Silas. É verdade que beneficiou do descanso que deu aos jogadores mais importantes da equipa, mas, independentemente disso, a equipa esteve leve no terreno, soube criar muitas oportunidades e mais importante que tudo, concretizá-las. Também na defesa nota-se uma evolução e a entrada de Ristovski para o lugar de Rosier, permitiu ganhar algum acerto posicional e acutilância nas disputas homem a homem.