RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Sexta-feira, Agosto 07, 2020

Sporting campeão europeu de hóquei em patins 1977 – A Saga

Foi no dia 18 de Junho de 1977 que finalmente uma equipa portuguesa se sagrou campeã europeia de hóquei em patins. E que equipa poderia ser essa, se não aquela que ainda é por muitos considerada como a melhor equipa de sempre do hóquei em patins mundial, essa equipa, era a do Sporting Clube de Portugal, e dela faziam parte os cinco magníficos, Ramalhete, Rendeiro, Sobrinho, Livramento e Chana, treinados pelo grande Torcato Ferreira. Dessa equipa campeã europeia fariam também parte Carlos Alberto, Carmelino, Jorge e Garrido.

Mas comecemos pelo princípio, foi no início da década de 1970, que o Sporting começou a formar a equipa que se viria a sagrar vencedora de todas as competições de clubes, que disputou em 1977 e ainda formou o cinco inicial da selecção portuguesa, que venceu o campeonato europeu de hóquei em patins, no mesmo ano.

Torcato Ferreira, Rendeiro e Chana

O primeiro a chegar foi o treinador Torcato Ferreira, em Março de 1971, na época seguinte começa a tomar forma a equipa maravilha, com a chegada daquele que viria a ser o grande capitão desse grupo, Júlio Rendeiro, vindo do Infante de sagres e também do virtuoso Vitor Chana, este oriundo da Juventude salesiana. Torcato Ferreira viria a conquistar ao serviço do Sporting, 4 campeonatos nacionais e 2 taças de Portugal para além da taça dos campeões europeus. Julio Rendeiro venceria também 3 campeonatos, 2 taças de Portugal e 1 taça dos campeões e Vitor Chana que detém o record de jogador com mais campeonatos nacionais ganhos ao serviço do Sporting, conta com 5 campeonatos, 2 taças de Portugal, 1 taça dos campeões europeus e 1 taça das taças.

Ramalhete

Na temporada de 74/75 o Sporting recebe mais um reforço de vulto para a construção da equipa, chama-se António Ramalhete, vindo do Benfica, e é também considerado ainda aos dias de hoje o melhor guarde redes português de sempre e um dos melhores do mundo. Chega nessa época e ajuda a equipa a chegar ao titulo de campeão nacional 36 anos depois da última vez. De salientar que António Ramalhete é ainda hoje o jogador de hóquei em patins com mais títulos conquistados ao serviço Sporting clube de Portugal , tendo conquistado 4 campeonatos nacionais, 3 taças de Portugal, 1 supertaça , e todos os títulos europeus de clubes que se disputavam à data, 1 taça dos campeões europeus, 1 taça das taças e uma taça CERS.

Sobrinho

Na época seguinte, 75/76, chega outro enorme reforço vindo da Juventude Salesiana, João Sobrinho passa a integrar os quadros do Sporting e ajuda a equipa a sagra-se bi-campeã nacional e a vencer pela primeira vez a taça de Portugal , conquistando assim por conseguinte a primeira dobradinha do clube nesta modalidade. João Sobrinho é também um dos jogadores mais titulados ao serviço do Sporting, tendo vencido 4 campeonatos nacionais , 2 taças de Portugal, 1 taça dos campeões europeus e uma taça das taças.

Livramento

E eis que chegamos à época de ouro, finalmente a equipa maravilha completa-se com a chegada do grande António Livramento, ainda hoje considerado o melhor jogador do mundo de todos os tempos. António Livramento viria a conquistar como jogador, 1 campeonato nacional e uma taça de Portugal para além da taça dos campeões europeus.

Iniciando a época com um momento importante na vida do clube, a inauguração do pavilhão de Alvalade, que viria a tornar-se na casa das modalidades do clube e se revelaria também determinante nas conquistas desta equipa de hóquei em patins. A equipa de sonho consegue durante a época 76/77 conquistar todos os títulos que disputa. Sagra-se tri-campeã nacional, vence a taça de Portugal e consegue a conquista suprema, vence a taça dos clubes campeões europeus de hóquei em patins pela primeira vez.

E é esse o tema que nos trás aqui, a história da conquista desse troféu nunca antes alcançado por uma equipa portuguesa.

Finalmente juntos, os cinco magníficos, começam a sua participação na taça dos campeões europeus defrontando a equipa suíça do H.C. Montreux nos 1/4 de final da competição. Apesar de pertencerem a uma região com alguma tradição na modalidade, os suíços não se mostram à altura de rivalizar com a equipa do Sporting e foram derrotados por expressivos 18-1 na primeira mão em Lisboa a 9 de Abril e na segunda mão a 30 de Abril em Montreux voltariam a ser derrotados por 11-3.

Seguiu-se na triunfante caminhada rumo ao título aquele que seria considerado talvez o maior obstáculo a essa conquista, em jeito de final antecipada defrontaríamos a grande equipa espanhola do Voltregá, que era bi-campeã europeia em título. Na primeira mão em Espanha, as coisas não correram da melhor maneira à equipa do Sporting. Para além de defrontar o campeão europeu em titulo, a equipa teve ainda de lutar contra a adversidade de disputar um jogo de tamanha importância num recinto ao ar livre e debaixo de chuva. O resultado da primeira mão resultaria num 5-2 favorável aos espanhóis, o que fazia adivinhar uma tarefa espinhosa para os pupilos te Torcato Ferreira no objectivo de passar à eliminatória seguinte.

Mas, na segunda mão em Lisboa, num pavilhão de Alvalade repleto e debaixo de grande apoio dos seus sócios e adeptos, veio ao de cima a genialidade dessa fabulosa equipa, que num autêntico recital de hóquei brindou na equipa do Voltregá com um resultado de 8-3, vergando a magnífica equipa espanhola numa lição de como jogar hóquei em patins.

Chegava então a final, a grande e tão desejada final realizar-se-ia a duas mãos contra a também equipa espanhola do Villanueva. Ao contrário do que sucedeu na meia final, a primeira mão da final disputou-se em Alvalade e os espanhóis saíram vergados a uma expressiva derrota por esclarecedores 6-0 em mais uma magnífica exibição da equipa do Sporting, que deixava bastante bem encaminhadas as coisas em relação à conquista do tão desejado troféu. No final deste jogo diria Carlos Trullos o mítico guarda redes do Villanueva e da selecção espanhola “sofri seis golos e fiz uma das melhores exibições da minha vida”, o que por si só revela a magnitude e excelência da exibição da equipa do Sporting nessa noite em Alvalade.

Na segunda mão na deslocação a Espanha ao recinto do Villanueva, e de modo a não deixar dúvidas, o Sporting conseguiria nova vitória, desta vez por 6-3.

Estava assim cumprida uma das mais belas paginas da história do grande Sporting clube de Portugal. A primeira equipa a portuguesa a conquistar a taça dos clubes campeões europeus de hóquei em patins fazendo uma vez mais jus ao nosso lema.

Tão grande como os maiores da Europa

Artigos relacionados

Subscreva
Notify of
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

4 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
postscriptum

Estive no pavilhão em todos os jogos dessa caminhada, equipa imparável, fenomenal, jogava de olhos fechados, um luxo poder ter visto isto ao vivo, inacreditável o ambiente, nao tenho palavras, era o principio da juventude leonina, bandeiras gigantes, ensurdecedor ambiente, só quem lá esteve nestes jogos principalmente com os espanhóis, obrigado pelo tópico, o Sporting é muito grande, memórias nunca se apagam e feitos destes com tanta qualidade sao a génese do Clube.
A melhor equipa de todos os tempos nesta modalidade.
A Alma do Clube será feita sempre pelos seus adeptos e para os seus adeptos…

Nogueira82

Talvez o melhor 5 de sempre do hóquei em patins.

ZédasCouves

Sao estas histórias que fazem crescer a mistica!

Leão com memória

Quem bela memória.
Muitos parabéns.

4
0
Partilhe a sua opinião!x
()
x