RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quarta-feira, Janeiro 20, 2021

Neste dia… em 1965, vitória em Braga por 2-1

Por Coelho Alves

Sporting 1964-65

“A partida, disputada em Braga, veio mais uma vez demonstrar que a tradição é uma força.”

“Os bracarenses, na primeira metade do desafio, foram, sem duvida, superiores e a margem de golo, que desfrutavam ao intervalo, era prémio absolutamente justo. Sem dominarem territorialmente, dado que o Sporting nunca perfilhou uma toada defensiva, os minhotos foram mais decididos e as suas jogadas eram melhor organizadas.”

“Após o recomeço, quando ainda não havia um minuto de jogo, os lisboetas alcançaram a igualdade, por Serra, mas, em boa verdade, esse tento só foi possível por erro da defensiva local, especialmente de Armando II, que se adiantou, sem necessidade, permitindo que o extremo «leonino» atirasse a bola em arco, sem lhe dar possibilidades de emendar.”

“A partir daí, o pouco de futebol que se viu, por banda dos bracarenses, desapareceu.”

“Lutavam os «arsenalistas», é certo, na mira de recomporem a diferença, mas o seu jogo perdera ligação, mostrando-se os avançados incapazes de bater Barroca, que mesmo assim, teve de empregar-se a fundo em duas, ou três ocasiões.”

“Por seu turno, os lisboetas melhoraram de rendimento, sem, todavia, alcançarem nível aceitável e essa melhoria deveu-se ao facto da sua linha avançada ter tentado a sorte, em jogo aberto, pelos extremos.”

“Antes da meia hora, Armando II teve de sair da baliza para defender, a pontapé, uma intrusão perigosa de Lourenço, saindo o guarda-redes bastante «tocado» desse lance.”

“Inexplicavelmente, apesar de coxear, manteve-se no seu posto e isso custou ao Braga uma derrota, que muito bem podia ter evitado, Na verdade, o golo do desempate só foi possível, porque Armando, inferiorizado, não conseguiu «arrancar» a tempo, permitindo que a bola, chutada por Lourenço, sem convicção, pois até se encontrava de costas para a baliza, entrasse, por alto.”

“As ocasiões de golo também se repartiram em numero equilibrado. Mas tanto ao Sporting da casa como aos lisboeta faltaram rematadores para aproveitarem essas muitas oportunidades.”

“Dos vencidos, como vem sendo habitual, Leiria cotou-se como o melhor e mais certo elemento. A linha avançada complicou demasiadamente o jogo, não dando o devido seguimento ao trabalho, de princípio aceitável, do sector intermédio. O ultimo reduto cumpriu razoavelmente, se esquecermos o lance do golo do empate.”

“Quanto aos vencedores podemos citar Alfredo e, nalguns lances, Ferreira Pinto como os melhores. No conjunto, a equipa está muito «doente» e o mal afecta demasiadamente jogadores que, pela sua categoria, não justificam tão sensível baixa.”

“O árbitro dirigiu sem dar reparos desagradáveis.”

Fonte: Diário de Lisboa

Estádio: 28 de Maio Público:
Árbitro: João Pinto Ferreira (Porto)

Sporting: Barroca; Pedro Gomes, Alfredo Moreira, José Carlos (Capitão) e Hilário; Fernando Mendes e Osvaldo Silva; Carlitos, João Lourenço, Fernando Ferreira Pinto e Jean-Pierre Serra.

Golos: Júlio Teixeira (42’) (Braga) ; Jean-Pierre Serra (46′) e Lourenço (85′) (Sporting)

Data: 10/01/1965
Local: Estádio 28 de Maio, Braga
Evento: Braga (1-2) (Sporting), CN - 13ºJornada

Artigos relacionados

Subscreva
Notify of
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
0
Partilhe a sua opinião!x
()
x