RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Domingo, Novembro 17, 2019

Em 2017… Poker de Bas Dost, no Tondela – 1 x Sporting – 4

O Sporting CP goleou esta noite o CD Tondela por números expressivos, com todos Bas Dost a ser o homem da partida. O internacional holandês apontou todos os golos dos leões, cimentando a sua liderança na tabela de melhores marcadores do campeonato e continuando na luta pela conquista da Bota de Ouro.

Privado de Bruno César e Alan Ruiz, Jorge Jesus optou por colocar Bryan Ruiz no meio campo com William Carvalho e Daniel Podence no apoio ao ponta de lança. A ala esquerda ficou entregue a Zeegelaar e Matheus Pereira, no que constituiu mais uma surpresa operada por JJ. Já o Tondela apresentou-se com o seu esquema habitual, com Hélder Tavares e Claude Gonçalves a segurar o meio campo e Pedro Nuno como elo de ligação ao ataque.

O jogo começou numa toada de equilíbrio, com alguns remates de ambas as equipas, defendidos por Cláudio Ramos e Rui Patrício. A equipa leonina demorou a carburar com Bryan Ruiz a fazer a tarefa de Adrien Silva, devido às características diferentes do costarriquenho. Enquanto Adrien é muito mais um jogador de transporte e de intensidade alta, Bryan é um jogador de lançamentos, com uma visão de jogo mais criativa e apurada, com muito menos intensidade e menor capacidade na disputa das bolas divididas. Daniel Podence foi o melhor em campo na primeira metade do encontro. Sempre que a bola chegou aos pés do “menino”, saía jogada de perigo para a baliza tondelense. A prova disso mesmo ocorreu aos 34 minutos, quando o Sporting abriu o marcador. Podence teve um pormenor de muita qualidade no flanco esquerdo e cruzou para Bas Dost abrir o marcador com um remate na pequena área, perante a inoperância dos centrais adversários.

Na segunda parte, o jogo reiniciou da mesma maneira que a primeira, com remates para as duas equipas. Assim, não foi de estranhar que acontecessem dois golos no primeiro quarto de hora. Num lance onde Zeegelaar não está isento de culpas, o Tondela empatou, com Jhon Murillo a finalizar após centro rasteiro de Pedro Nuno. Um golo orquestrado por dois jogadores emprestados pelo Benfica ao Tondela. Este golo poderia ter trazido muitas dificuldades aos leões. Isso só não ocorreu porque o Sporting voltou à vantagem na jogada seguinte. Matheus Pereira furou pela defesa do Tondela numa diagonal da esquerda para o meio e, a meias com Hélder Tavares, assistiu Bas Dost para o bis na partida.

O feitiço quase se virou contra o feiticeiro, pois o Tondela esteve pertíssimo de empatar novamente o encontro aos 57 minutos. Num livre direto, Pedro Nuno obrigou Rui Patrício à melhor defesa da noite. Depois disso, só deu Sporting. Por volta dos setenta minutos, surgiu a primeira de três grandes penalidades cometidas pelos jogadores tondelenses. Kaká empurrou Gelson Martins dentro da grande área e Bas Dost completou o “hat-trick”, com uma penalidade clássica. Bola para um lado, guarda redes para outro. Apesar de ter estado desinspirado, Gelson acelerou mais do que o pretendido por Kaká, que foi obrigado a empurrá-lo para o parar.

Sete minutos depois, novo penálti. Após cruzamento de Matheus Pereira (boa exibição do brasileiro), Claude Gonçalves empurrou Dost na pequena área. No penálti, o holandês bateu novamente Cláudio Ramos. Como não há duas sem três, surgiu novo penálti nos descontos. Claude Gonçalves derrubou Francisco Geraldes (estreia positiva, apesar de ter jogado apenas cinco minutos) na grande área. Contudo, Bas Dost rematou igual ao segundo penálti e, desta vez, foi negado por Cláudio Ramos.

O Sporting conseguiu assim uma vitória folgada em Tondela, com Bas Dost em grande forma. Os leões mantêm assim distâncias para o FC Porto e aumentam o fosso para o SC Braga, que havia empatado em Chaves. Já o Tondela continua abaixo da linha de água, antes de um teste de fogo na luta pela permanência, com a visita da próxima semana a Moreira de Cónegos.

A FIGURA

Bas Dost – O internacional holandês apontou quatro golos esta noite em Tondela. Ainda podiam ter sido mais, não tivesse atirado um cabeceamento ao lado e ter falhado o terceiro penálti de que dispôs perante Cláudio Ramos. É um ponta de lança fenomenal, praticamente ao nível do melhor Mário Jardel que tivemos em Portugal. Além do holandês, quero destacar Paulo Oliveira (sempre seguro a defender e cada vez melhor na primeira fase de construção ofensiva), Matheus Pereira e Daniel Podence (duas boas exibições dos jovens atacantes, a par da boa entrada de Francisco Geraldes). No Tondela, o destaque positivo é o mesmo de sempre: Cláudio Ramos. Perante a péssima defesa que tem à sua frente, muito tem feito o guarda redes português. Merece outros voos, quiçá uma equipa que lute pelo acesso às competições europeias. Surpreendentemente, Bruno Paixão esteve bem ao assinalar as grandes penalidades, apesar de ter estado mal a nível disciplinar.

O FORA DE JOGO

Centrais do Tondela – Kaká e Osorio foram péssimos hoje. Também por isso se explica a facilidade com que o Sporting perfurou tantas vezes a defesa adversária. Já o tinham mostrado há umas semanas no Dragão e voltaram a fazê-lo frente aos leões. O primeiro golo surge na pequena área, apontado pelo ponta de lança. O segundo é apontado outra vez por Dost, no meio deles. O terceiro surge de uma grande penalidade cometida por Kaká. Apenas o último não tem responsabilidade direta deles, ainda que os jogadores do Sporting tenham semeado o pânico na pequena área. São fraquíssimos tecnicamente e excessivamente faltosos. Pica, salvador do Tondela na época transata, pode estar perto de regressar à titularidade.

Fonte: bolanarede.pt

Artigos relacionados

Deixe um comentário

avatar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscreva  
Notify of