RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Olha os Estatutos, Rogério!

Ouve o artigo

É frequente assistirmos no nosso dia-a-dia a pais a repreenderem os seus filhos pequenos porque se portaram mal ou não fizeram o que deviam. Assistimos a repreensões frequentes um pouco por todo o lado, sempre que um petiz não se comporta. Nós próprios o fazemos ou já fizemos, no caso daqueles que são pais.

Por estes dias, quando penso no nosso Sporting, penso em quanto o nosso Presidente da Mesa da Assembleia Geral merece umas valentes reguadas naquele rabo por não ligar nenhuma nem aos estatutos do clube nem aos pedidos e requerimentos daqueles que era suposto ouvir, respeitar e proteger.

Imagino uma horda interminável de sócios descontentes a gritar-lhe aos ouvidos “Olha os estatutos, Rogério!” enquanto lhe aplica o devido correctivo por mau comportamento.

Está iminente uma nova clara violação dos estatutos, pois acho que já todos percebemos que a Assembleia Geral obrigatória que os mesmos determinam para o mês de junho não se vai realizar. Inclusivamente já foi timidamente noticiado na Comunicação Social que, à semelhança do ano passado, haverá apenas uma Assembleia Geral em Setembro acumulando as votações quer do Relatório e Contas, quer do orçamento.

Relatório e Contas que, diga-se, apresenta resultados catastróficos. Eu ainda sou do tempo em que uma dívida de 44 milhões a fornecedores fez capa do Correio da Manhã. Agora já vai no dobro, mas não se passa nada.

Acho graça é que mesmo com estes exemplos escandalosos, os senhores jornalistas nos queiram convencer que são muito imparciais e defensores da liberdade de imprensa. Na realidade, o que temos é liberdade de difusão de fake news, mitos e lendas, cartilhas e narrativas.

Ainda em relação aos estatutos, ainda me lembro em 2018 de pulularem um pouco por toda a Comunicação Social especialistas em Estatutos do Sporting, eram autênticos gurus estatutários, falavam deles e discutiam-nos como se fossem especialistas de toda uma vida na matéria.

Foram dias e horas a fio sempre a incidir no mesmo, curiosamente sempre para o mesmo lado, Bruno de Carvalho era um perigoso violador de estatutos por oposição a Jaime Marta Soares, o corajoso defensor dos mesmos.

Qualquer que fosse o canal, lá estava um “especialista” em estatutos do Sporting a dizer que o Presidente do clube os tinha violado incessantemente. Fosse de manhã, hora de almoço, hora do lanche ou do jantar. A ementa era sempre a mesma. Até podíamos sintonizar uma qualquer rádio regional de Tondela, Amarante, Freixo de Espada à Cinta ou Vila Velha de Rodão, inevitavelmente ia aparecer na emissão um qualquer guru dos Estatutos do Sporting a disseminar a cartilha dominante.

Chegados a 2021, Rogério Alves fez o mesmo aos Estatutos do Sporting que Mário Soares fez em tempos ao Socialismo, no entanto agora já não é notícia, agora tudo está bem, apesar do clube viver um autêntico clima de ditadura. Isto é como convém claro, o problema não é a ditadura, é quem está por trás dela, se der jeito não há qualquer problema.

E por falar em ditadura. Tenho andado a ler um livro de Francisco Moita Flores, passado em 1937 (em pleno Estado Novo portanto), essa tenebrosa e efectivamente ditadura que assombrou Portugal até 1974.

Eu não vivi a época, felizmente, mas também por outros relatos que já li acredito piamente que o descrito neste romance histórico é real, as coisas aconteceram mesmo assim como ali é descrito.

Naquele tempo, qualquer critica, qualquer apontamento negativo, qualquer arrufo ou rumor por muito sagaz que fosse sobre o Estado era automaticamente classificado com o chavão do bicho papão da altura e objecto de profundo escrutínio e implacável intervenção da Polícia Política.

Alguma criatura tinha o atrevimento de falar em aumento salarial? Comunista! Belzebu! Tarrafal ou Peniche, já!

Alguém tinha o atrevimento de pensar sequer numa manifestação? Comuna! Satanás! Xilindró, já!

Sindicatos? Greves? Blasfémia! Heresia! Mafarricos! Cadeia, imediatamente!

Salazar era feio, estava fanhoso ou tinha o fato mal engomado? Sacrilégio! Dianhos! Pena de morte, já!

Ocorria um crime? Fosse um assalto, uma violação ou até mesmo um homicídio? Culpa de um comunista obviamente, e engavetava-se o primeiro zé ninguém que fosse possível encontrar. Torturava-se o desgraçado até ele confessar o que fosse preciso e pronto, estava feito.

No Sporting Clube de Portugal actualmente passa-se exactamente a mesma coisa. É só substituir “comunistas” por “brunistas”. E tal como os comunistas na altura, também agora os “brunistas” são perigosos desestabilizadores que estão por todo o lado como ervas daninhas a minar a prosperidade e estabilidade implementada pela actual direção.

E como tal, há que erradica-los, não importa como nem a que preço, nem que seja necessário mentir, expulsar, censurar, construir narrativas falsas, semear mitos sem nexo, insistir em lendas já mais do que provadas como falsas.

Curioso como durante o Estado Novo, o Sporting era conhecido como o clube das figuras principais do regime, das elites do regime, elites essas que agora pretendem tomar o clube como seu e instaurar nele a sua ditadura, tomar posse da instituição como se lhes pertencesse por direito.

Cabe aos sócios responder a esta pretensão com um rotundo NÃO. Nem que seja necessário avançar com um 25 de Abril no Sporting Clube de Portugal. É preciso agir antes que seja tarde, antes que as elites vendam o clube e aí já nada haverá a fazer.

Este defeso em que agora entrámos vai ser mais um desbaratar do património do clube, Jorge Mendes está aí em força e os rumores dos seus negócios certamente que não serão apenas fumo. É Matheus Nunes no novo clube de Nuno Espírito Santo, é Ruben Vinagre e Ugarte (jogadores do carrossel) a caminho de Alvalade, etc.

Jorge Mendes patrocinou o título salvador de 2020/2021, agora está na altura da cobrança. E vamos pagar bem caro esse favor, ou neste caso é o clube que vai pagar, o clube que ainda é de todos nós Sportinguistas.

As recentes vitórias em modalidades como o Hóquei, o Basquetebol ou o Futsal vieram tornar mais difícil o fecho das respectivas secções. Mas não tenho dúvidas que a médio prazo esse fecho irá acabar por acontecer. O desinvestimento é notório, como por exemplo no Futebol Feminino onde acabámos de rescindir com praticamente todas as atletas e anunciar como nova treinadora a ex-treinadora da equipa B e camadas jovens.

Artigos relacionados

3 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Manuel Correia

Os perigos que assolam o Sporting estão em paridade com o regime impune que temos no futebol e no País.
É tempo de clarificar o que é importante e acabar com a injustiça e a farsa no Sporting.
Os sócios, adeptos e pessoas em geral têm que estar atentos às manobras sub-reptícias, com interesses malévolos e escusos, sobretudo pensarem que as fake news não são verdades.

Leão do Nordeste

Revejo-me integralmente neste texto.

Só há uma solução. Rogério Alves tem que ser destituído pelos Sócios do SCP por incumprimentos dos seus deveres como PMAG.

Haja um Jorge Mattamouros no Sporting Clube de Portugal.

Rui Barbosa

Estatutos? O que são estatutos? É de comer? Tem creme? Hã?