RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Sexta-feira, Agosto 07, 2020

Juntar juventude com veterania – eis a questão

A retomada da Liga NOS em período pós-Covid levou a que os clubes olhassem com maior atenção para a sua formação. E o Sporting Clube de Portugal não foi exceção à regra. Foram 14 os jogadores com que Ruben Amorim tem trabalhado no plantel principal  dos quais se tem destacado Gonçalo Inácio e Eduardo Quaresma (Defesas Centrais), Nuno Mendes (Lateral Esquerdo), Matheus Nunes (Médio Centro) e, mais recentemente, Jovane Cabral (Extremo).

Sabemos que Amorim apostará na formação não por uma questão de princípio mas porque as circunstâncias assim o obrigam. Não se trata portanto de uma marca distintiva do técnico mas de uma determinação imposta pelo clube.

O objetivo passa pela introdução de juventude na equipa principal do Sporting, numa “nova” geração de “Aurélios” que, muito certamente, a breve prazo, constituirá a base da Seleção Nacional, à semelhança do que aconteceu em 2016 e que nos valeu o titulo de campeões da Europa.

Mas, tal como disse de forma sapiente Diego Capel em entrevista ao jornal Record no passado domingo, essa juventude que está a aparecer no clube de Alvalade deverá ser acompanhada de acréscimo ao nível da veterania. E, neste ponto, começam os problemas: aquele que teria naturalmente essa missão, Jeremy Mathieu, abandonou a carreira de futebolista recentemente.

Quem será então aquele que terá a missão de orientar/ensinar a juventude? Amorim tem então uma tarefa hercúlea: a de equilibrar juventude com a veterania que se exige mas que pouco existe nesta equipa do Sporting.

Sem essa união e aprendizagem, as “sementes” crescerão sem cultura clubista e farão do futebol um conjunto de passes, jogadas e festejarão os golos como se de beber um copo de água num dia de sede se tratasse.

Ora, vejo atualmente, pouca ou nenhuma preocupação dos dirigentes leoninos em contratar alguém com a veterania que se exige e determina. Será o sueco Martin Olsen, o guarda-redes da AS Roma que poderá inculcar no plantel a experiência que falta? Mas mesmo esse poderá nem vir… Ou caberá a Coates a missão de dar “formação” à geração novata? Dúvidas que até ao momento ainda não vi respondidas por nenhum elemento do Conselho Diretivo do nosso clube.

Saudações leoninas!

Simão Mata – Sócio SCP/ Nucleo Sportinguista de Matosinhos.

Artigos relacionados

1 Comentário
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Peyroteo

Bom texto. Parabéns.