RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Segunda-feira, Maio 25, 2020

Futebol Flashback: Sporting 2-2 Tondela, 17ª Jornada do Campeonato, 2015/2016

Numa altura em que não há futebol para acompanhar, o Rugido Verde decidiu analisar encontros antigos, equivalentes aos que o Sporting iria disputar na presente época. Neste fim-de-semana (4 e 5 de abril), o Sporting iria defrontar o Tondela em casa. Como tal, trazemos à memória, o infeliz empate a duas bolas, no primeiro jogo de sempre entre as duas equipas, no Estádio José Alvalade, a contar para o Campeonato na época 2015/2016

O Sporting chegava ao encontro com o Tondela como líder do Campeonato. Era o início da segunda volta e os Leões levavam quatro pontos de avanço sobre os rivais FC Porto e benfica. O Tondela, por sua vez, era o lanterna vermelha da Liga, com apenas oito pontos nos primeiros 17 jogos.

Após três vitórias consecutivas (FC Porto, Vitória FC e SC Braga), avizinhava-se nova vitória leonina no arranque da segunda metade do Campeonato.

O onze verde-e-branco compôs-se por: Rui Patrício; João Pereira, Ewerton, Naldo e Jefferson; William Carvalho, Adrien Silva, João Mário e Bruno César; Bryan Ruiz e Islam Slimani.

Do lado do Tondela, entraram de início: Matt Jones; Junior Oto’o, Kaká, Tikito e Nuno Santos; Bruno Monteiro, Hélder Tavares e Guzzo; Wagner, Romário Baldé e Nathan Júnior.

O Sporting entrou no jogo desconcentrado, com os jogadores leoninos a falhar muitos passes e o Tondela a conseguir, a espaços, assumir o jogo. A exibição era, sem dúvidas, desinspirada, mas foi sendo acompanhada de uma arbitragem permissiva relativamente ao antijogo da equipa visitante. Quando, por volta dos 24 minutos, parecia surgir a primeira jogada de real perigo para a baliza do Tondela, é (mal) tirado um fora-de-jogo ao costa-riquenho Bryan Ruiz.

O primeiro remate perigoso do jogo apareceu aos 25’, com um cabeceamento de William Carvalho, que saiu por cima da baliza de Matt Jones. No entanto, quando se esperava que o Sporting acordasse e tomasse conta da partida, desenrolou-se um lance capital: a expulsão de Rui Patrício. Num contra-ataque que nasce de falta sobre Adrien, o guarda-redes do Sporting é expulso numa mancha em que tira a bola com a perna antes de derrubar o avançado do Tondela. Era o ponto alto da exibição do árbitro Luís Ferreira que, não contente com a expulsão, e consequente penalti, amarelou também o capitão Adrien por protestos.

Jorge Jesus fez sair Bruno César para colocar em campo Marcelo Boeck, que não conseguiu defender a grande penalidade batida por Nathan Junior.

Os adeptos canalizaram o sentimento de revolta para dentro do campo e a equipa sentiu isso, reagindo ao golo sofrido, novamente, através de William Carvalho, com um bom remate defendido pelo guardião adversário.

Ao intervalo, com o Sporting em desvantagem, Jesus tirou William e colocou, no seu lugar, Gelson Martins, operando assim a sua segunda substituição. A entrada do extremo mexeu com o jogo, o Sporting mostrou-se mais clarividente e começou a atacar mais e, aos 5 minutos, Islam Slimani empatou a partida, beneficiando de um desvio num defesa. A partida relançou-se, com muito tempo para jogar.

As oportunidades sucediam-se, e foi mesmo Gelson Martins a operar a cambalhota no marcador, à hora de jogo. O Sporting, a jogar com menos um, apresentava-se dominante e dominava o jogo como queria.

No entanto, estava guardado um balde de água fria para os mais de 36 mil espectadores presentes. A cinco minutos do fim, o recém-entrado Salva Chamorro gelou o José Alvalade com o golo do empate.

O Sporting ainda tentou recuperar novamente a vantagem, saiu João Mário para entrar Carlos Mané, mas já não foi a tempo de mudar nada no resultado. Era um empate na receção ao último classificado da Liga, que, mesmo não pondo em causa a liderança da mesma, significava a perda de dois pontos importantes na luta pelo título.

Para a estatística fica o empate no primeiro Sporting –Tondela da história, mas na memória dos Sportinguistas mais atentos, fica uma arbitragem que mostra que, em 2015/2016, havia uma máquina a trabalhar no sentido de haver outro campeão, e isso, a longo prazo, tem muito mais impacto do que o infame falhanço de Bryan Ruiz no Sporting 0-1 benfica da mesma época.

Resumo oficial da partida

Imagens retiradas de www.zerozero.pt

Artigos relacionados

Notify of
sCARFACE
Visitante
sCARFACE

OS PADRES NESSA ALTURA JÁ DAVAM MISSAS!