RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Sexta-feira, Julho 10, 2020

Justiça para Bruno de Carvalho

Estes dias foram marcados por vários eventos que impactaram o universo leonino. Houve mais uma troca de treinador, que simboliza na perfeição o amadorismo e a falta de rumo e de visão estratégica dete CD. Rúben Amorim está a prazo, tal como estiveram os 4 treinadores antes dele, mas desta vez os custos para o Sporting serão bem mais significativos.

Fomos pagar 12 milhões por um treinador que nunca ganhou nada e que, ainda por cima, nem o curso de treinador tem.

Depois, houve mais uma manifestção massiva de contestação de sócios e adeptos leoninos a este CD incompetente e divisionista. Mais de 4000 Leões vieram manifestar-se contra Varandas y sus muchachos, com um PMAG a observar e a ignorar por completo a vontade de milhares de sócios, sócios esses, que o PMAG deveria representar e apoiar.

No entanto, o evento mais importante na agenda leonina acaba por ser o processo de Alcochete, onde o MP apresentou as suas conclusões e pediu, pura e simplesmente, que Bruno de Carvalho seja totalmente ilibado das acusações que lhe foram feitas (pelo próprio MP), por não haver qualquer indícios de que tenha tido qualquer envolvimento com o que aconteceu em Alcochete.

O processo exonerou Bruno de Carvalho de qualquer culpa, com a maior parte das testemunhas a confirmarem a versão da defesa e inocentarem o Presidente.

Devo dizer que, neste processo, estranhei a posição do advogado do Clube, que era assistente no processo, por este ter tentado ligar BdC às acusações que lhe foram feitas. Ora, isto não serve em nada os interesses do Clube, pois temos ainda processos que decorrem no TAD contra alguns ratos que rescindiram e onde o Clube pode ainda ganhar bom dinheiro. Várias testemunhas vieram contradizer a versão apresentada pelos ratos (quero relembrar que as cartas apresentam quase todas a mesma argumentação porque provavelmente foram escritas pela mesma pessoa) onde acusam o Presidente de ter instigado o ataque contra eles e advogando assim justa causa na rescisão.

Porque é que o Clube não comunica sobre esta decisão do MP e os efeitos que ela pode ter sobre os processos? Porque é que não há um comunicado da SAD sobre esta vitória parcial que fortalece a posição do Clube no processo contra os jogadores e os clubes que os empregaram?

Porque é que os ratos que rescindiram com o Clube, sem justa causa, são tratados como ídolos e heróis com honras de camarote e o Presidente injustamente acusado e perseguido é considerado persona non grata apesar de ter, comprovadamente, defendido os superiores interesses do Clube?

Será que este CD está a defender os interesses do Clube, ou os seus próprios interesses? O papel que Varandas e JJ tiveram na golpada parece cada vez mais obscuro.

Não vou fazer o que os “LeoNazis” fizeram com BdC e acusar Varandas de ser o autor moral do ataque a Alcochete, mas vou enumerar alguns factos ocorridos que mereciam uma reposta:

  • Porque é que Varandas, JJ, Rui Patrício e William Carvalho mentiram em tribunal?
  • Qual era o papel do “Tusca” e do “Barbini” na organização do ataque, visto que constavam no grupo do WhatsApp e que ficou provado que mandaram mensagens para os agressores? Esses 2 indivíduos acabaram na lista de Varandas e o “Barbini” até se apresentou como um homem de confiança dele. Um homem de confiança não ia informar o seu futuro presidente do que ia acontecer?
  • Porque é que a Comissão de Gestão e este CD investiram tanto tempo e energia para diabolizar o CD de BdC sabendo que tal iria prejudicar severamente o clube, nomeadamente no caso das rescisões dos ratos.

Mas voltemos ao que interessa: as alegações finais do Ministério Público.

Uma montanha que pariu vários ratos

Uma coisa é certa, a palavra “alegadamente” só serve mesmo para atenuar a gravidade das acusações proferidas contra o benfica. Não deixa de ser curioso que, apesar de existirem e-mails, apresentações PowerPoint e até escutas telefónicas, os jornais tiveram sempre o cuidado de meter um “alegadamente” para evitar acusar directamente o benfica.

Claro que vão alegar que todos são inocentes até prova do contrário e têm toda a razão!

Mas então porque é que não fizeram o mesmo com as acusações a Bruno de Carvalho? Não li nenhum título como “Bruno alegadamente terá mandado atacar os jogadores” ou “Bruno terá alegadamente mudado o horário do treino”.

Em vez disso, os portugueses só viram afirmações sem reservas nenhumas:

  • Bruno é o mandante;
  • As contas de Bruno;
  • O Bruno tramou JJ.

O que é que os portugueses e os sócios leoninos vão pensar?

Se para o benfica, onde existem provas, o “jornalixo” utiliza o “alegadamente”, então no caso do BdC, deve ser mesmo evidente e não há qualquer dúvida que ele é culpado!

Depois, temos cartilheiros a repetir as mentiras dos “jornaleiros” e, para acabar, metem-se umas figuras políticas ávidas de protagonismo e populismo que vêm publicamente dar a estocada final.

Ficou comprovado que BdC foi preso a mando de um membro do governo, o homem foi algemado em casa perante a família a as filhas sendo inocente! Isto devia meter medo a cada cidadão e a ideia é mesmo essa: “Não te metas connosco, se não acontece-te o mesmo que ao Bruno!”

Mas os piores nem foram os nosso inimigos externos, mas sim os internos. Aqueles contra quem José Alvalade lutou quando deixou o Campo Grande Futebol Clube para fundar o Sporting Clube de Portugal. Já nesse tempo, os “Escroquetes” queriam andar em banquetes e piqueniques cheios de glamour, enquanto o Visconde de Alvalade queria um clube desportivo vencedor e com garra.

Hoje, quase 114 anos após o sucedido, os “Escroquetes” voltaram a apoderar-se do clube com a intenção de promover o glamour e os jantares de convívio, onde gente de bem se junta em tertúlias para discutir quão mal vai o clube, mas quão diferentes eles são daquela escumalha bárbara que só quer suor, sangue e vitórias. Para isso, aliaram-se aos nossos inimigos lampiões (sim inimigos é a palavra certa, porque rivais não assassinam adeptos de outros clubes com o apoio jurídico e financeiro do clube).

Os lampiões souberam construir uma máquina de propaganda fortíssima, que não só conseguiu promover o clube e os seus jogadores (vendendo m**** a preço de ouro) mas conseguiram produzir os spins necessários para manter o Orelhas e o seu clube incólumes perante os ataques de que foram alvos.

Os “Escroquetes” aliaram-se aos lampiões para expulsar o Presidente-Adepto e assim tomar o controlo do Sporting, que deixará de ser de Portugal para ser de Lisboa, mas só da parte fina da capital! Ninguém acredita que as sucessivas empresas de comunicação contratadas pelo Varandas sejam capazes de uma performance tão eficaz e sobretudo resiliente.

O trabalho começou logo depois de BdC ter denunciado, em plena TV, o caso dos vouchers. LFV ameaçou directamente os Sportinguistas via jornais ao proclamar que iam pagar pela ousadia de Bruno de Carvalho.

Embora todos reconheçam o brilhante primeiro mandato que realizou, nunca Bruno de Carvalho teve direito a uma primeira página, de um “pasquim” de futebol, que tenha sido elogiosa. Não houve nenhuma com títulos tipo:

  • Bruno arruma a casa;
  • Bruno consegue acordo com os bancos que salva o Sporting;
  • O milagre financeiro de Bruno de Carvalho;
  • Nunca o Sporting vendeu jogadores por tanto dinheiro;
  • Bruno enfrenta os poderosos fundos de investimento do futebol e vence!;
  • VAR  adoptado pela UEFA, mais uma vitória de Bruno de Carvalho;
  • Tão grande como os maiores da Europa, Sporting de Bruno de Carvalho enfrente os tubarões da Europa olhos nos olhos e sem medo;
  • O maior contrato de direito televisivos de sempre! Mais uma grande vitória de Bruno!;
  • Bruno de Carvalho: Um mandato cheio de sucessos, ou como um desconhecido conseguiu salvar o Sporting e metê-lo a vencer em 3 anos.

Em vez disso, os títulos elogiosos eram abafados e os “erros” eram enfatizados, não só nos jornais, mas também nos programas televisivos de futebol onde era afastado, de maneira sistemática, quem apoiava BdC para dar a vez a mais um comentador lampião ou um “sportingado”.

Nas TV’s só davam tempo de antena a quem viesse criticar BdC, e muitos desses ainda hoje lá estão. Já um Carlos Dolbeth, ou um João Quadros, raramente são convidados para opinar sobre o Sporting apesar de serem Leões reconhecidos. O João Quadros até tinha denunciado os “Escroquetes” quando estes ainda estavam a planear o regresso.

A AG de fevereiro veio provar que dificilmente iriam conseguir afastar BdC com críticas e desgaste. A única maneira era criar um escândalo tão grande, que virasse a opinião pública, na sua maioria contra BdC.

O facto de BdC estar enfraquecido, e psicologicamente fragilizado, por causa da luta que a sua filha estava a travar pela sobrevivência, abriu uma oportunidade para os “LeoNazis”.

A equipa de futebol passou a jogar mal e, tanto treinador como jogadores não davam tudo em campo. Houve uma troca de mensagens onde, noutro Clube, os jogadores teriam sido castigados por terem refilado contra o Presidente mas no Sporting foi ao Presidente que foi apontado o dedo. Algo nunca visto nos clubes rivais.

Bruno de Carvalho foi mistificado como sendo um arruaceiro que não tinha estofo para ser presidente. Enquanto isso, do outro lado da 2ª Circular, havia um gajo que mandava os sócios para o c****** nas AG’s, que pagava jantares e meninas a árbitros e que traficava droga com colombianos… mas que nunca “sube” de nada. Um senhor muito azarado que vê tudo e todos condenados à sua volta, menos ele.

Mas esse era um senhor para o “jornalixo”, endeusado pelos bocas-de-piano e amantes de vinho do pacote.

Já no Sporting, clube da gente de bem, as aparências são tudo. Preferem andar num 4° lugar e não ganhar nada do que ver um presidente em casaco de cabedal.

Alcochete, em que membros da futura direção de Varandas constavam no grupo de WhatsApp dos agressores, foi o pontapé de saída e o pseudo-caso Cashball veio dar um verdadeiro murro no estômago dos Sportinguistas. Se nos outros clubes, os adeptos defendem o seu clube contra tudo e todos, no Sporting ninguém tolera, e bem, dirigentes corruptos. O Sportinguista tolera o insucesso desportivo, mas não tolera que sujem o nome do Clube e os seus valores centenários.

Ao ligar BdC a esses actos hediondos, BdC estava condenado perante a maior parte dos sócios leoninos. Os Sportinguistas não compactuam com corrupção e não perdoam quem mete o Clube na lama. Paulo Pereira Cristovão foi o perfeito exemplo disso mesmo.

Mas havia uma grande falange de sócios que acreditava na inocência de BdC e continuavam a apoiar o Presidente até que fosse provada a sua culpabilidade.

O plano dos “LeoNazis” era simples: afastar BdC de tal maneira que ele nunca mais pudesse voltar ao clube e meter em perigo o grande piquenique que seriam as direcções “Escroquetes” que estarão por vir.

Para isso BdC tinha de ser culpado… já.

Criou-se uma onda de contestação (200 adeptos cheios de glamour e azeite) e faz-se passar isso por uma oposição credível (num universo de 3,5 milhões de Sportinguistas). Esses golpistas conseguem pressionar os membros do CFD e MAG a demitir-se (prometendo tachos no próximo CD).

Mas o CD não cai, então um PMAG demissionário (que afinal deixou de o ser, conforme a hora do dia) decidiu constituir um CFD provisório, composto por inimigos de BdC, cujo papel era instaurar um processo disciplinar ao Presidente acusando-o de todos os boatos que os “LeoNazis” criaram e que acabaram por serem desmentidos em tribunal.

Os juízes amigos (muitos deles são hoje investigados por corrupção) validam uma série de providências cautelares sem dar direito ao CD de se defender.

O CD, como único órgão ELEITO pelos sócios encontrou-se numa situação inédita de não ter MAG nem CFD, situação que não está prevista  nos estatutos (se a MAG cai então o CFD elege uma MAG provisória, se o CFD cai, a MAG elege um CF provisório até às eleições… mas nada para o caso onde os 2 caem).

O processo de destituição foi uma palhaçada ainda maior, onde se inventaram crimes e nem se deu a hipótese às pessoas para se defender. Até o Jornal Sporting serviu de meio de propaganda para promover a destituição.

Para tirar as dúvidas a alguns sócios, o PMAG veio a público prometer que se o CD fosse destituído, poderiam participar nas eleições que viriam a seguir. Os sócios que tinham dúvidas, pensaram que o Clube não podia continuar neste caos, e com o voto de destituição iríamos para eleições e poderiam de novo votar em BdC e assim dar continuidade ao seu trabalho.

Só que os “LeoNazis” mentiram, e suspenderam BdC de sócio com base nas mesmas mentiras sobre Alcochete, Cashball e posts de Madrid.

Muitos sócios foram enganados e não puderam votar em BdC ou Carlos Vieira (ambos suspensos). Ou seja um CFD provisório, eleito pelo PMAG sobrepôs-se à vontade dos sócios.

Para ser eleito, Varandas elogiou o trabalho do antigo CD dizendo que queria capitalizar no que foi feito de bom e construir a partir daí. Também prometeu que se fosse eleito, BdC não seria expulso de sócio.

Mais uma vez, o que depois se tornaria num hábito, os “LeoNazis” mentiram e não só destruíram o que o antigo CD tinha feito (incluindo a excelente reestruturação financeira) como expulsaram BdC de sócio na AG mais vergonhosa alguma vez realizada, com códigos de barras nos boletins e violações aos estatutos para todos os gostos.

E agora que sabemos que tudo foi…(surpresa!)…uma mentira?

O clube deixou de ser dos sócios, é um facto. Temos um CD que trata os sócios por “escumalha”, temos um PMAG que defende o CD em vez de dar voz aos sócios e adeptos que se manifestam constantemente contra este CD.

Os resultados financeiros e desportivos catastróficos só tem por objetivo afastar os sócios e baixar o valor da SAD para que esta possa ser vendida. Há muito que os gestores de topo e os “Escroquetes” consideram os sócios como uma aberração. A SAD tem de ser dirigida pelos accionistas e tem de ter clientes. Os clientes vão aos jogos apoiar a equipa e gastar dinheiro, e os accionistas tomam as decisões.

Um clube gerido por sócios? Isso nunca vai dar nada. É esta a mensagem que os “LeoNazis” estão a passar e que as TV’s e jornais repetem sem fim (mas esta solução só parece ser válida para o Sporting, já o benfica vai no caminho inverso, mas quem é que se vai chatear por mais uma incoerência dos “paineleiros”?).

Infelizmente, na minha opinião, a reconquista do clube só pode passar pelos tribunais. Não acredito que os “LeoNazis” vão permitir aos sócios exprimir-se livremente sobre a continuidade deste CD porque o PMAG sabe que a mesma AG servirá para o destituir também.

Por isso, a solução passa pelo apoio incondicional a BdC. A vitória nos processos que interpuser contra os “LeoNazis” podem e devem levar a novas eleições que queremos livres e com debates na nossa TV onde, idealmente os sócios possam participar.

Depois poderemos analisar os projetos de cada um e decidir o melhor para o nosso clube, em liberdade e sem coações.

Até lá, há que manter a pressão e uma união de aço em volta do nosso clube contra esta direção de traidores e usurpadores.

Força Sporting!

Artigos relacionados

2 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
HULK VERDE

Mesmo não concordando com alguns aspectos (nuances) referidos, não deixa de ser uma perspectiva bastante sólida e muito bem conseguida, capaz de incluir vários acontecimentos marcantes e articulá-los numa cronologia extensa e elaborada do que foi este processo, desde a sua origem, nas suas causas e consequências.
Mais importante que algumas considerações mais subjectivas, a estrutura é muito forte e o fio condutor elucidativo.

Effranco

Totalmente de acordo!!

2
0
Partilhe a sua opinião!x
()
x