RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quinta-feira, Abril 09, 2020

A Caderneta de Cromos do Sporting: Parte I – Os Notáveis

Já por diversas vezes falei aqui no Rugido sobre a luta de classes em vigor no Sporting actual. Existe, nos dias que correm, uma certa e determinada casta de notáveis, gente da alta, que se acha dona do clube e do seu destino.

Gerem o mesmo como se de um banco ou uma grande empresa se tratasse, lambendo frequentemente o rabo uns aos outros, distribuindo cunhas e tachos, manipulando a opinião pública através dos órgãos de comunicação social, tudo sempre com muita elevação, muito glamour e desprezando tudo o resto que eles classificam de “escumalha”.

José Roquette

Vou iniciar esta compilação de cromos no ano de 1995, ano em que chegaram ao poder aqueles que são hoje unanimemente conhecidos como croquettes. José Roquette assumiu a presidência do clube, um ano depois, sucedendo a Pedro Santana Lopes.

E foi com José Roquette que nasceu a SAD no Sporting – Sociedade Anónima Desportiva, empresa cotada em bolsa.

Curioso que já em 1999 este senhor se mostrava muito incomodado com as claques e os sócios que faziam barulho perante os maus resultados da equipa de futebol, segundo Roquette eram comportamentos intoleráveis e incompatíveis com a tradição e valores históricos do Clube.

No dia 23/01/2020 José Roquette em declarações publicadas no jornal A Bola admite ser uma boa solução para o clube a venda da maioria do capital social da SAD a terceiros.

Não podemos, no entanto, deixar de recordar que foi com José Roquette que foi quebrado o jejum de títulos nacionais de campeão de futebol. Corria o ano 2000. Um grandioso momento no universo Sportinguista. Com Augusto Inácio a treinador e Luís Duque como homem forte do futebol.

Dias da Cunha

Cada vez que este senhor aparece a dizer algo em público assemelha-se a uma múmia saída do sarcófago para debitar disparates.

Numa das suas últimas aparições públicas saiu-se a dizer que “há muitos Sportinguistas que ainda anseiam pelo regresso do bronco”. Para além de serem declarações insultuosas para uma massa significativa de sócios e adeptos do clube tenho as minhas dúvidas que José Roquette aprove estas declarações pouco elegantes para com um colega ex-presidente, certamente que são intoleráveis e incompatíveis com a tradição e valores históricos do clube.

Soares Franco

São conhecidas as suas declarações públicas de querer um clube só de futebol e sem sócios. Resta dizer que foi com este senhor que grande parte do património do clube foi vendido, nomeadamente o Centro Comercial Alvaláxia, a clínica CUF e os terrenos anexos ao novo estádio (onde se encontrava o antigo).

Faz sentido também aqui recordar uma entrevista deste senhor ao jornal Record (publicada a 26/12/2007) onde admitia que não era presidente do Sporting a tempo inteiro nem o clube era uma prioridade para ele:

“Costumo dizer, por graça, que à segunda, quarta e sexta gosto de ser presidente do Sporting, às quintas, terças e sábados não gosto e no domingo depende do resultado do jogo (…) Hoje sou muito criticado por ter dito uma vez que dedicava uma hora por dia ao clube (…) O Sporting não é minha primeira prioridade em termos de vida”.

José Eduardo Bettencourt

Ficará para a história o célebre episódio com as maracas num evento leonino (onde aparece com Dias Ferreira).

Esteve cerca de um ano e meio na presidência do clube sucedendo a Filipe Soares Franco e antecedendo Godinho Lopes. Já nesta altura a contestação ao projecto Roquette era muita, ainda assim conseguiu obter quase 90% dos votos em eleições.

Foi ainda na sua presidência a – de má memória para os sportinguistas – transferência de João Moutinho (de quem falarei na segunda parte desta caderneta) para o Futebol Clube do Porto.

Carlos Barbosa da Cruz

Não confundir este senhor com o presidente do ACP (que também é Sportinguista). O Carlos Barbosa da Cruz que é pertinente para aqui é o advogado membro da direção de Filipe Soares Franco.

Este cromo tem uma crónica no jornal Record intitulada “O Canto do Morais”. Entre outras pérolas que já desenvolveu na mesma, tem uma a ridicularizar a família de Cristiano Ronaldo. Esteve directamente envolvido na venda de património no mandato de Soares Franco e é também ele um defensor da venda da SAD, algo que já assumiu numa das suas crónicas no jornal Record.

Agostinho Abade

Este cromo andou por várias administrações croquettes. Em 2018, participou em várias reuniões de notáveis tendo em vista discutir a situação financeira do clube. Foi bastante crítico relativamente ao despedimento de Marco Silva e a sua reação à contratação de Jorge Jesus foi que já o tinha tentado contratar no seu tempo.

Menezes Rodrigues

Porque há imagens que valem por mil palavras:

Cesar Mourão

Outro cromo para quem a elegância está acima de tudo, nas suas palavras os títulos não importam, a dignidade e os valores é que interessam:

Rui Franco

Este cromo é tão Sportinguista que até desejou derrotas do clube se isso significasse a saída de Bruno de carvalho.

José Eduardo

Outro apologista da venda da SAD:

José Maria Ricciardi

Sobre este cromo ver a minha crónica de 29/10/2019 aqui no Rugido:

Pedro Baltazar

Outro confesso defensor da venda da SAD. Há quem diga que era o CEO mistério de João Benedito no acto eleitoral de 2018 e há rumores que apontam o seu nome como o financiador do movimento Dar Futuro ao Sporting. Recentemente disponibilizou-se publicamente para uma solução directiva no clube.

Jaime Marta Soares

O nosso bombeiro incendiário de serviço não podia obviamente ficar de fora desta compilação de cromos do clube.

Foi durante 37 anos autarca em Vila Nova de Poiares, enquanto autarca esteve envolvido em algumas situações polémicas nomeadamente quando foi acusado de ter desviado mais de 50 mil euros.

Enquanto presidente da Liga dos Bombeiros tem sido fortemente contestado pelos seus associados que pretendem destitui-lo de funções.

Henrique Monteiro

Outro cromo defensor da venda da SAD, numa das suas crónicas na newsletter não oficial do Sport Lisboa e Benfica, A Bola, diz claramente que acha que o Sporting será o primeiro clube a ceder na questão da propriedade da SAD preferindo ver o Sporting ganhar com um bom investidor a estar mais 18 anos sem ser campeão.

Vitor Espadinha

Primeiro andou furioso com Bruno de Carvalho, agora anda furioso com Frederico Varandas. Este cromo tem que decidir duma vez o que quer para o Sporting. Compreendo que a idade já não ajude mas talvez fosse boa ideia ter um pouco mais de calma, ou essa avançada idade pode traí-lo.

Manuel Fernandes

Incluir este cromo nos notáveis é talvez um pouco forçado, pois a criatura em questão não tem nível para isso. Mas, quem acompanha os seus comentários nos programas televisivos, tem plena noção do quanto as suas intervenções são deprimentes e uma vergonha para o clube.

Acho que nunca ninguém percebeu muito bem o que este senhor faz no Sporting. Isto claro para além de comer e beber à grande nos repastos da instituição. Nisso ele é tão bom agora como foi, em tempos, a dar pontapés na bola.

Mas o que é certo, é que há anos e anos que tem um cargo bem remunerado no clube.

Sousa Cintra

Na comissão de gestão em causa deliciou-nos com a contratação de nomes como José Peseiro, Renan Ribeiro, Diaby ou Gudelj.

Um dos cromos mais antigos e que regressou das trevas recentemente para presidir aos destinos da comissão de gestão croquette do verão de 2018. Anteriormente já nos tinha presenteado com actos de gestão deliciosos como o despedimento de Bobby Robson para contratar Carlos Queiroz.

Mas não conseguiu perceber porque motivo foi assobiado na última Assembleia Geral do clube. Realmente há coisas que não se percebem.

Dias Ferreira

Este é um cromo móvel, camaleão, ou seja, vai navegando ao sabor dos ventos que que acha mais favoráveis ao seu grande objectivo: um tacho no clube. Mas não um qualquer, tem que ser o principal. Já tentou várias vezes, sempre sem sucesso. Mas continua a gravitar à volta do clube, nunca perdendo uma oportunidade para mandar a sua posta de pescada.

Tal como Sousa Cintra ou Manuel Fernandes não se pode considerar que Dias Ferreira seja um notável na verdadeira aceção da palavra. Não é carne nem peixe. Anda ali no limbo.

Santana Lopes, Paulo Portas, Miguel Relvas, Poiares Maduro, Ferro Rodrigues, Pires de Lima

Agrupo todos estes cromos num só porquê? Porque representam os notáveis do clube que actuam simultaneamente na política. Todos eles suspiraram nos últimos tempos pelo regresso do Sporting elegante, educado e mansinho que não conta para nada.

Alguns já foram membros de grupos de notáveis como o Conselho Leonino. Um até já foi presidente. Embora na altura o apelo da política tenha sido demasiado irresistível.

Muitos mais notáveis participantes na nossa política teriam aqui lugar. Mas se os fosse enumerar todos, nem daqui a dez anos acabava este texto.

Godinho Lopes

O pior presidente de sempre da história do Sporting. É certo que se trata de um estatuto cada vez mais em perigo perante o avanço avassalador de Frederico Varandas no caminho da ruína. Frederico Varandas, que, diga-se entrou no clube pela mão deste senhor.

Demitiu-se do cargo de presidente após, e tal como o seu antecessor, não ter cumprido sequer dois anos de mandato. Era suposto ter terminado aqui a presença desta casta de notáveis na presidência do clube. Infelizmente estes senhores são persistentes e não vão desistir facilmente.

Foi, nos mandatos de Bruno de Carvalho, expulso de sócio. Infelizmente, foi sozinho. Devia ter ido acompanhado, e por uma multidão. Todos estes que estão aqui presentes nesta caderneta e ainda mais alguns.

Frederico Varandas

Como já referi acima, entrou no clube no mandato de Godinho Lopes, muito por força também da presença nos órgãos directivos da altura do seu irmão João Pedro (Varandas). Está decidido a roubar o título de pior presidente da história do clube para si. Após o verão de 2018, aproveitou para saltar para o poleiro. Nem vale a pena estar com grandes considerações sobre este senhor aqui. O Rugido tem dado bastante ênfase à sua gestão ruinosa. Os resultados desportivos falam por si.

Rogério Alves

Numa caderneta de cromos real este seria O cromo. O mais raro, o mais desejado e mais difícil de sair.

O mais raro porque sem ninguém dar nada por ele, passando sempre pelos pingos da chuva, é na realidade o maior cancro que milita no clube. É o grande líder da fação croquette que mina o clube há décadas.

O mais desejado porque sempre foi nomeado por grande parte da nação sportinguista como o presidente ideal.

E, finalmente, mais difícil de sair porque nunca mais desampara a loja.

Diogo Bernardo

Não sendo uma figura pública particularmente conhecida este croquette é um dos mais activos croquettes nas redes sociais. Defende convictamente a sua dama dum Sporting elegante e com elevação e, como é apanágio do verdadeiro croquette, um Sporting popular provoca-lhe comichão.

Aqui no Rugido é conhecido por alpaca do deserto pelo facto de andar por estes dias pelo Dubai. Eu diria que está junto dos seus, no meio daqueles camelos todos que certamente existem por lá, ou não fosse aquilo deserto.

Eduarda Proença de Carvalho, Tânia Laranjo, Rita Garcia Pereira, Rita Ferro Rodrigues

Como não quero que acusem o Rugido de ser machista não vou terminar este capítulo da caderneta de cromos do Sporting sem incluir algumas senhoras.

Eduarda Proença de Carvalho, vice de Jaime Marta Soares na mesa da assembleia geral (o que só por si já diz muito da criatura), reagiu da seguinte maneira à saída de Bruno Fernandes do clube: “foi um verdadeiro senhor com todos os sócios e com o clube”. Não é preciso dizer mais nada, pois não?

Tânia Laranjo é outra que dispensa apresentações. “Nunca deixes que a verdade estrague uma boa narrativa” é o seu lema. Apresenta-se como sportinguista e jornalista mas duvido que seja realmente alguma delas.

Quanto a Rita Garcia Pereira, advogada (como o pai, o conhecido líder do MRPP) e parte integrante da comissão de fiscalização nomeada por Jaime Marta Soares teceu grandes elogios a Frederico Varandas na altura da sua candidatura: “grande pessoa, grande profissional e óptimo gestor”. Tem-se visto realmente a pessoa, o profissional e o gestor que ele é…

Finalmente Rita Ferro Rodrigues. Filha do conhecido dirigente do Partido Socialista e actual presidente da Assembleia da República, chegou em outubro de 2018 a ser anunciada como rosto da Sporting TV. Algo que não se viria a confirmar.

Artigos relacionados

Notify of
Neca Pinto
Visitante
Neca Pinto

Falta aí na lista o Paulo Araújo que teceu aqui uns comentários dignos de um verdadeiro croquete. Então o anterior presidente é que foi o culpado da desunião e de toda a desgraça em que o nosso Clube se encontra?! Um homem que reergueu o Sporting das cinzas, ou já se esqueceu da miséria em que estávamos em 2013? Um homem que foi capaz de mobilizar, de agregar os adeptos como há décadas não se via, ou não está a par do aumento exponencial do número de sócios nesse período? Ou não se lembra do estádio quase sempre cheio, com… Read more »

Paulo Araújo
Visitante
Paulo Araújo

Esqueceu-se de falar do maior cromo de todos e o responsavel por atualmente termos o varandas como Presidente. Vou avivar-lhe a memoria. O ex- presidente do Sporting, foi o grande obreiro da guerra interna do Sporting, colocando Sportinguista contra Sportinguista, acredito que não se lembre, mas faça uma pesquisa sobre SPORTINGADOS. Os SPORTINGADOS eram todos aqueles que tinham uma ideia contraria à do Presinte do Sporting (faz-lhe lembrar alguma coisa da presidencia atual). O nosso novo e fantástico presidente apenas conseguiu piorar ainda mais essa situação. Foi o antigo presidente do Sporting que criou um CLIMA TÃO PODRE DE ODIO… Read more »

Júlio Gonçalves
Visitante
Júlio Gonçalves

Não interessa comentar a verdade. A verdade é a verdade e não merece comentários.

Hulk verde
Visitante
Hulk verde

Todos na grelha (da Nova Sporting TV, na reedição do programa de fantoches e marionetas A Árvore dos Estapafúrdios), e era um sucesso a nível de audiências.

jorge mendes
Visitante
jorge mendes

notáveis MERDAS….

%d bloggers like this: