RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quinta-feira, Maio 28, 2020

É carnaval mas Plata não está para brincadeiras

Sporting 2 – 0 Boavista

Mais uma jornada da Liga NOS , desta vez, depois de uma vitória para a Liga Europa, na última quinta-feira, frente ao İstanbul Başakşehir. O adversário desta tarde amena é o Boavista, que está a fazer uma época tranquila e situava-se, à partida para esta jornada, no oitavo lugar da classificação.

Várias alterações foram promovidas pelo treinador Silas. A defesa, especialmente, foi quase totalmente modificada para esta partida. As introduções de Borja, Ilori e Rosier, jogadores quase proscritos, seria uma espécie de nova oportunidade, num plantel que não tem muitas soluções.

Depois de um inicio de jogo morno, com as duas equipas na expectativa, a primeira oportunidade do Sporting surgiu aos 12 minutos e dá logo golo! Plata sofreu uma falta do lado direito do ataque e o mesmo jogador assume a marcação do livre. A bola é batida de forma tensa ao primeiro poste aparecendo o ponta-de-lança Sporar a finalizar de pé direito, com a bola ainda a bater no guarda-redes Helton Leite.

Jogo bastante desinteressante depois do Sporting inaugurar o marcador. As equipas apostavam na posse de bola e praticamente não arriscavam. Nota apenas para um golo bem anulado por fora-de-jogo a Plata, aos 22 minutos.

Aos 42 minutos, quando nada fazia prever, o Sporting aumenta o marcador e chega ao segundo golo! A bola chegou a Borja, do lado esquerdo do ataque leonino, e o lateral colombiano optou pelo cruzamento para a área. Carraça ainda conseguiu cortar a bola de cabeça, mas na insistência apareceu Gonzalo Plata a fazer um grande remate de primeira, com a bola a entrar na baliza. Bom jogo e bom golo do jovem jogador leonino.

Terminava assim a primeira parte com uma vantagem cómoda, mas sem uma exibição de luxo. Previa-se uma segunda parte confortável, com o Sporting apenas a necessitar de gerir o resultado, tendo também em vista a segunda parte da eliminatória em Istambul na próxima quinta-feira.

A segunda parte decorreu, nos primeiros minutos, de forma monótona, sem grandes oportunidades para qualquer das equipas. Registo apenas para um lance, aos 49 minutos, em que na ressaca de um canto, a bola sobra para Rosier à entrada da área. O lateral francês, em posição frontal, remata de pé esquerdo, com a bola a ressaltar em Neris e a colocar o guardião Helton Leite em dificuldades.

Aos 73 minutos uma grande oportunidade (finalmente!) para o Sporting nesta segunda metade do jogo. Wendel conduziu toda a transição desde a defesa e colocou a bola no lateral Borja do lado esquerdo. O lateral voltou a optar pelo cruzamento que chegou a Jovane Cabral e o extremo leonino, com todas as condições para marcar, remata ao lado do poste direito da baliza boavisteira.

O Boavista cedo desistiu de disputar o encontro e, aos 80 minutos, mais uma excelente chance para o Sporting. Num contra-ataque rápido da equipa leonina, a bola chegou a Plata que enquadrado em frente a Helton Leite, não consegue rematar com a força suficiente para a bola passar pelo guardião axadrezado.

As melhores oportunidades do Boavista surgiram apenas aos 90 minutos. Primeiro, na sequência de um canto marcado do lado direito, a bola chegou a Fabiano que, sem marcação, rematou de pé direito, com a bola a sair muito perto do poste esquerdo da baliza de Max. Aos 93 minutos, um enorme remate de fora da área de Gustavo Sauer, permitiu ao jovem guardião leonino fazer uma enorme intervenção.

Terminou assim o jogo com mais uma vitória do Sporting. Jogo perfeitamente confortável, com o Boavista a arriscar muito muito pouco durante praticamente todo o encontro. A equipa leonina também não fez uma exibição deslumbrante mas foi eficaz e resolveu a partida na primeira parte. Plata fez uma boa partida e está, cada vez mais, a assumir-se como uma peça interessante e importante no plantel.

Análises Individuais:

Maximiano (Nota 6) – Fez um jogo praticamente descansado, já que o Boavista não atacou. A sua grande contribuição fez-se já nos descontos, com uma grande defesa após um remate de longe de Gustavo Sauer.

Borja (Nota 6) – Fez um bom jogo. Controlou a nível defensivo e subiu de forma criteriosa ao ataque, com jogadas de perigo em que esteve envolvido. Um exemplo disso foi no segundo golo, ao fazer o cruzamento que dá origem ao remate de Plata.

Neto (Nota 6) – Jogo perfeitamente controlado e seguro para Luís Neto. Fez alguns cortes importantes nas raras chegadas do Boavista à grande área do Sporting.

Ilori (Nota 6) – Regressou à titularidade e ainda tremeu durante uma ou duas jogadas. Ainda assim não foi por ele que a defesa meteu água.

Rosier (Nota 6) – Outro jogador que voltou à titularidade. Não foi verdadeiramente posto à prova pelo ataque axadrezado e ainda deu um ar da sua graça no ataque, com um remate aos 50 minutos que causou sobressaltos ao guardião Helton Leite.

Battaglia (Nota 6) – Hoje assumiu a braçadeira e soube contribuir para bloquear as transições axadrezadas para o ataque. Não brilhou mas foi importante coletivamente.

Wendel (Nota 6) – Infantil no lance em que leva amarelo (ficando excluído do próximo jogo na liga) mas fez uma exibição agradável. A solidez defensiva de Battaglia permite-lhe, sem arrependimentos, construir e lançar o ataque do Sporting com alguma liberdade. Hoje, mais uma vez fez isso.

Gonzalo Plata (Nota 7) – O MVP na partida de hoje. Esteve um furo acima do resto da equipa, participando em bastantes iniciativas de ataque. É ele que faz a assistência para o primeiro golo de Sporar e é Plata que marca o segundo golo da equipa, num pontapé de qualidade, sem deixar cair a bola.

Jovane Cabral (Nota 6) – Na primeira parte esteve um pouco apagado, mas apareceu na segunda e esteve até perto do golo, com um remate a rasar o poste aos 75 minutos.

Vietto (Nota 6) – Depois um grande último jogo, hoje houve continuidade. Esteve bastante ativo nos 80 minutos em que esteve em campo e é claramente o jogador escolhido para ser o maestro do ataque.

Sporar (Nota 6) – Jogou cerca de 70 minutos e fez o que se pedia a um ponta-de-lança, marcou. O seu golo, aos 13 minutos, facilitou bastante esta tarefa ao Sporting. De resto, lutou no ataque, mas sem grande brilho.

Pedro Mendes (Nota 5) – Entrou aos 73 minutos mas não encontrou as oportunidades que precisava para rematar à baliza do Boavista.

Francisco Geraldes (Sem avaliação) – Regresso de Chico Geraldes a Alvalade, contudo, ainda não foi neste jogo que deu uma resposta relevante.

Ristovski (Sem avaliação) – Entrou já nos últimos 10 minutos mas sem nada a registar.

Silas (Nota 6) – O Sporting não deslumbrou, nem sequer jogou particularmente bem, mas Silas tem o mérito, pela primeira vez, de estar a fazer apostas que já tardavam em ser escolhidas. Jovane e Plata estão a dar respostas bastante positivas e hoje até Borja e Rosier souberam dizer presente. Com duas competições por disputar até Maio, Silas tem de continuar a tirar o melhor de cada peça deste pequeno plantel.

Artigos relacionados