RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quinta-feira, Agosto 06, 2020

Futuro morto ou apenas adiado?

Pela análise das últimas peças contabilísticas publicadas, torna-se evidente, que as dificuldades de tesouraria são graves e que nos próximos anos se vão agravar. Isto, caso se pretenda manter as modalidades todas e competitivas.

É do conhecimento geral, que o clube, tem uma pesada dívida bancaria (73M), cuja regularização foi incluída no Acordo de Reestruturação celebrado em 2014:

As notícias recentes da SAD relativas ao novo Acordo de Reestruturação, bem como a informação contida no ReC do 1º Trimestre, não indiciam nada de bom para o clube e são demonstrativas que as dificuldades vão agravar-se e significativamente nos próximos anos. Em primeiro lugar, a reestruturação da divida bancaria do clube foi esquecida e em segundo lugar, percebemos que estão a ser adiantadas receitas relativas aos direitos de transmissão da SportingTv e que em parte estão a ser utilizadas para amortizar a divida bancaria.

Assim, de acordo com o atual Orçamento e retirando os valores já adiantados e gastos são estas as principais receitas:

E será com estas receitas que terão de ser pagos os seguintes valores orçamentados:

Visto nesta perspetiva, é muito fácil de perceber o grave problema de tesouraria que a gestão terá de lidar. Mais do que nunca é necessária uma gestão competente e com visão de futuro que seja capaz de produzir estratégias e angariar as receitas essenciais para que se mantenha o desígnio preconizado pelos fundadores, ser um clube tão grande quanto os maiores da Europa.

Conhecíamos planos do CD anterior para enfrentar este desafio, encontrar rendimentos e estratégias para minimizar o deficit de tesouraria de forma a manter a competitividade e a sustentabilidade do clube. Relembro:

Desde logo, aproveitando uma oportunidade, talvez única, com os bancos pressionados para vender créditos, através da SGPS limpar o passivo bancário do clube, libertando dessa forma todas as garantias associadas e ficando em condições privilegiados para investir no futuro, já lá vamos, entretanto, recordem a nova reestruturação desenhada pelo executivo anterior e que foi em grande medida rasgada pelo CD atual:

Toda e qualquer estratégia passa como é evidente pela capacidade de agregação e mobilização dos sócios, área nunca descurada e em constante aperfeiçoamento e comprovada pela evidencia dos números, praticamente duplicou-se o nº sócios em apenas 5 anos e a quotização passou dos 6M em 2014 para 9M em 2018.

Por fim e o mais importante, quero referir o futuro e aquilo que estava idealizado. Um clube sem passivo bancário, dono do seu destino, em ótimas condições para avançar com o projeto de readquirir património, nomeadamente, o complexo Alvalade XXI, tomar posse das garagens, investir no sonho “Cidade Sporting”, transformando a zona de Alvalade num “spot” comercial e turístico, muito atrativo para quem visita Lisboa, mas sobretudo para os milhões de Sportinguistas. Esta aposta na vertente comercial, com a criação de restaurantes, bares, hostel, quiosque e lojas de roupa casual com marca Sporting e CR7 seriam a garantia que não faltaria ao clube as receitas tão necessárias para manter a competitividade desportiva.

Mais do que as minhas palavras podem ouvir o Dr. Bruno de Carvalho, a falar sobre o assunto, a partir dos 19 mnts, no programa de 03/01/2020 da radio Estádio:

E ler o que o Dr. Carlos Vieira tem escrito sobre o tema:

Confesso que gostaria de ter feito esta abordagem não pelos planos que foram “rasgados” e “destituídos”, mas sim pelos planos que o atual CD prepara para o futuro, mas deixo a seguinte questão aos leitores:

Conhecem as ideias, as estratégias e os planos da atual direção para o futuro do clube?

Finalizo, reconhecendo o peso da herança e que posso sintetizar numa frase do último presidente, cito de memoria, “Abram os olhos, sejam exigentes, questionem tudo”. Este sim é verdadeiro legado da direção anterior e por isso coloco o seguinte desafio aos sócios:

– Estão dispostos para honrar o legado, exigindo trabalho e dedicação aos atuais dirigentes e sobretudo questionar sobre o que pretendem e que planos tem para o futuro do clube.

Artigos relacionados

2 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Green Marquis

O futuro do clube é a venda da SAD…. mais nada importa.
Quem apoiou o fivelas é tão culpado quanto ele, quando a SAD desaparecer, é bom que se recordem disso.

jorge mendes

os assaltantes estão se a cagar para o futuro do clube, estão SÒ preocupados com o seu futuro.