RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Sexta-feira, Setembro 25, 2020

Falta Mística a este Sporting

O Sporting Clube de Portugal na sua longa história, quase sempre, demonstrou que era um clube com mística, mas nos últimos 30 anos essa narrativa deixou de existir, fruto da falta de um conjunto de características que fazem a mística de um clube!

Para um clube reunir essa narrativa, há 5 aspectos que me parecem importantes para que possa existir mística num clube de futebol e, neste caso, no Sporting Clube de Portugal:

1 – Tem de haver um discurso mobilizador e ambicioso;
2 – As equipas nas mais diversas modalidades têm de ter condições para poderem lutar por títulos;
3 – Criar condições humanas e financeiras através do know-how;
4 – A mística é determinante para ganhar títulos, mesmo que haja condições financeiras;
5 – O discurso mobilizador está inerente ao aspecto financeiro de um clube;

A mística também se transmite através de promessas feitas aos sócios, como fez Bruno de Carvalho, que nas 110 medidas prometidas, creio que atingiu quase todas.

Peço desculpa aos adeptos anti-Bruno, mas façamos um exercício de memória e vejamos que, durante esses 30 anos, houve um interregno de 5 anos com Bruno de Carvalho, que pegou no clube sem essas várias componentes e transformou-o pela forma como conseguiu atingir as 5 temáticas acima mencionadas. 

A mística de um clube consegue-se quando as ambições da direcção de um clube estão em sintonia com os seus sócios e foi isso que Bruno de Carvalho conseguiu como toda a gente, inclusivamente os nossos inimigos, puderam constatar. Daí nunca se ter assistido na história do futebol português a tanto ódio a um presidente de um outro clube rival.

Infelizmente a partir de 23 de Junho de 2018, o dia mais triste para mim na história do Sporting Clube de Portugal, os sócios deste clube quiseram um retrocesso ao marasmo daquilo que era o clube antes de Bruno de Carvalho. 

Hoje não é difícil chegar à conclusão que quanto à mística do Sporting Clube de Portugal, recuperada por Bruno de Carvalho, porque com  esta direcção é liderada pelo incompetente e golpista Varandas, tudo foi feito no sentido inverso e é notório o distanciamento dos sócios para com o clube.

Esta direcção liderada por Varandas dividiu o clube como nunca. Com essa premissa, obviamente, que hipotecou o presente e o futuro a longo prazo, deixando cair novamente e totalmente a mística do Sporting Clube de Portugal, que tanto custou a recuperar.

Como é óbvio, a mística de um clube não se compra nas farmácias. A mística transmite-se através de resultados desportivos e financeiros e não é perseguindo os sócios e adeptos de todas formas como faz Varandas. 

A mística nunca existiu durante anos e anos com os chamados notáveis do clube, porque estes, como Dias Ferreira, José de Pina, André Pinotes, Carlos Barbosa da Cruz (advogado da Cofina) e outros, vão para a televisão com o único objectivo: seguir o guião dos lambuças!! 

A imagem pode conter: 14 pessoas, pessoas a sorrir

A mística de um clube também se transmite nesta altura que estamos a meio do processo sobre Alcochete. Estas e outras pessoas que ganham dinheiro na televisões, deviam ter a capacidade e alguma seriedade para de certa forma defender aquele que, até prova em contrário, é inocente e que foi presidente do Sporting Clube de Portugal. Estou a referir-me, é claro, a Bruno de Carvalho!!

Ter mística é estes senhores, que representam o Sporting Clube de Portugal nos canais de televisão, por sua iniciativa a não terem medo de falar abertamente sobre Alcochete e dizerem que, até ao momento, nem uma única testemunha culpou Bruno de Carvalho de nada. Aliás, devo dizer que o testemunho de Vasco Santos iliba totalmente Bruno de Carvalho. Porque não falam estes senhores sobre isto? Porque a mística deles não é a do Sporting Clube de Portugal, mas sim a dos canais onde comentam.

A mística do Sporting Clube de Portugal com Varandas foi adulterada, porque ele esta a fazer precisamente o contrário: mente, persegue, não sabe cumprir com o que prometeu e não tem capacidade para mais do que isto.

Obviamente que a mística de um clube é uma conjugação de vários aspectos, onde tem de haver a capacidade da direcção em transmitir e dos seus sócios em saber filtrar. Bruno de Carvalho conseguiu fazer a sua parte, muitos sócios, não .

Para terminar, a mística de um clube também se transmite através da ambição, dos resultados desportivos, do contacto directo com os sócios, de eventos e de interacção, de conferências, de projectos além fronteiras e da mensagem verdadeira e leal para com os seus sócios, mas para isso é preciso haver paixão. Esses foram todos os predicados de Bruno de Carvalho como presidente do Sporting Clube de Portugal e é tudo o que Varandas não tem.

Um clube sem mística é um clube sem identidade e sem futuro, eis o Sporting do Varandas. 

Artigos relacionados

3 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Leão Comuna

A mística do clube que BdC desenvolveu por algum tempo ou que a trouxe novamente, foi ar fresco renovado que trouxe ao clube.
Mas novamente os velhos bafientos conhecidos da alta sociedade portuguesa ligados ao Sporting, uniram-se uma vez mais pela luta do seu grande amor, o dinheiro. Devolveram eles também a sua mística barata, rasca e provinciana de perdedores, da elegância custe o que custar e de acima de tudo, o Sporting como centro de negócios e viveiros para jotinhas.

HULK VERDE

Para haver mística é preciso espírito leonino e uma alma muito grande, ainda para mais no meio da podridão que impera na sociedade portuguesa (e não só)… Neste momento só os sócios e adeptos, como o autor da crónica, os têm, não importa a distância nem o tempo, as posses ou os estatutos. Os “líderes”, os “educadores do povo”, esses têm o seu espírito embotado por promessas e perspectivas de ascensão no status quo, mordomias e regalias, e a sua alma ocupada em contas de somar, subtrair, multiplicar e dividir, para mais poderem possuir no plano material, e o seu… Ler mais »

jorge mendes

A mistica dos ditos notáveis merdas, foi sempre e é, ganhar dinheiro à conta do clube e com isso, enchem os bolsos e o ego, bom 2020 com fortes rugidos.