RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Domingo, Janeiro 26, 2020

Espetacular “remontada” coloca Sporting na Final Four da Taça da Liga

Portimonense 2 – 4 Sporting

Último jogo do ano civil e último jogo da fase de grupos da Taça da Liga. Com as contas muito complicadas, só a vitória acalentava alguma esperança na passagem do Sporting à fase seguinte. Ainda assim seria necessário esperar por uma escorregadela do Rio Ave que jogava em casa frente ao Gil Vicente.

Para este jogo, o treinador Jorge Silas apostou praticamente na melhor equipa, apenas com a exclusão de Luiz Phellype por limitações físicas, sendo substituído por Rafael Camacho e com Bolasie a assumir a posição mais adiantada no terreno.

O Portimonense começou, indiscutivelmente, por cima do jogo. Aos 6 minutos, Jackson Martinez dá o primeiro sinal de perigo ao rematar de primeira ao lado da baliza de Max, após um rápido contra-ataque dos algarvios.

Aos 14 minutos, o Portimonense ganha um penalty, num lance bastante infantil de Rafael Camacho que faz uma falta totalmente imprudente, dentro da área, sobre Júnior Tavares. Em frente ao guarda-redes, Jackson Martinez cobra forte e marca o primeiro golo, com Maximiano ainda a adivinhar o lado, mas a não chegar à bola.

O primeiro grande sinal de perigo do Sporting dá-se apenas aos 26 minutos. No seguimento de um lançamento em profundidade de Acuña, Bruno Fernandes faz uma grande receção já perto da área. Com dois jogadores a marcá-lo, o capitão leonino consegue arranjar espaço para colocar a bola em Bolasie. O avançado congolês, num grande lance, tira Fernando Medeiros da frente e remata para uma enorme intervenção do japonês Shuichi Gonda.

Aos 30 minutos, o segundo golo do Portimonense. Tudo começou num mau passe de Coates e, recuperada a bola, os algarvios iniciaram uma transição perfeita, com a bola a chegar a Aylton que cruza rasteiro, aparecendo Mathieu a fazer autogolo. Lance bastante desastrado do central francês que, tentando cortar de carrinho, acaba por introduzir a bola na sua própria baliza

O Sporting consegue reagir da melhor maneira a este segundo golo e aos 37 minutos consegue reduzir o resultado. Bruno Fernandes deu o exemplo e levou a equipa para a frente. O capitão leonino, já dentro da área adversária, fez um cruzamento soberbo e cheio de intenção, para uma entrada de rompante de Vietto que finalizou da melhor forma de cabeça.

Pouco antes do intervalo, mais uma grande contrariedade para os leões. Num lance individual de Bolasie, o congolês faz um movimento com a mão afastando Wyllian. Com o adversário no chão, João Pinheiro considerou que Bolasie fez uma falta passível de ser castigado disciplinarmente com um segundo cartão amarelo, acabando por ser expulso. Decisão muito contestada e polémica do árbitro.

Terminou a primeira parte, com uma desvantagem de 2-1 para o Sporting e já reduzido a 10 elementos fruto da expulsão de Bolasie. Afigurava-se uma tarefa muito muito complicada para os leões, mantendo-se, no entanto, uma réstia de esperança devido ao teimoso empate que se mantinha em Vila do Conde.

O Sporting necessitava de apostar tudo na segunda parte, mas é o Portimonense que está muito mais perto do terceiro golo, logo no reinício da partida. Tudo começou com um lançamento longo a partir da defesa, com a bola a chegar facilmente a Aylton, perante alguma passividade de Mathieu e Coates. Em frente a Max, o avançado finta o guarda-redes, mas no momento do remate o jovem guardião consegue ainda desviar a bola para o poste, evitando assim de forma providencial o golo dos algarvios.

O Sporting conseguiu responder de imediato, tanto aos 50 como aos 53 minutos. Primeiro, um grande slalom de Coates a levar a bola até à área adversária e a passar a Vietto que, em frente ao guarda-redes, tem uma grande perdida e remata ligeiramente ao lado. Depois, uma jogada muito bem trabalhada pelo ataque do Sporting. Triangulação entre Wendel, Bruno Fernandes e Vietto, com este último a rematar novamente ao lado.

A segunda parte decorria num ritmo bastante baixo e só aos 77 minutos é que se deu o “clique” à equipa leonina. Numa jogada de insistência do Sporting, a bola chega a Rafael Camacho que, já dentro da área, baila em frente ao defesa do Portimonense e remata forte com a bola a entrar na gaveta da baliza do Portimonense. Grande golo do jovem extremo leonino a compensar a infantilidade que dá origem ao primeiro golo dos algarvios.

Pouco depois, aos 83 minutos, o Sporting consegue mesmo chegar à reviravolta! Numa altura em que o Portimonense se debruçava no ataque, o Sporting consegue recuperar a bola e sair com superioridade numérica para o ataque. Nota para um grande passe de Bruno Fernandes a assistir Gonzalo Plata que finaliza sem dificuldade para o terceiro golo do Sporting.

Numa altura em que o Portimonense já se encontrava menos pressionante, o Sporting conseguiu “matar” o jogo nos descontos (90+4). Combinação fácil entre Plata e Vietto, com o argentino a cruzar recuado aparecendo Luiz Phellype a fuzilar o guardião Gonda.

Grande recuperação leonina, depois de uma primeira parte bastante fraca. Quando tudo parecia destinado a uma eliminação desta competição, a equipa conseguiu arranjar forças para virar o resultado adverso e garantindo assim um lugar nas quatro equipas que irão disputar a Final Four em Braga no final de janeiro do próximo ano.

Análises Individuais:

Maximiano (Nota 6) – Mais uma nota positiva de Max, não obstante dois golos sofridos, mas sem qualquer culpa. Destaque para uma enorme intervenção logo aos 46 minutos a desviar uma bola para o poste após um remate de Aylton Boa Morte.

Ristovski (Nota 5) – Teve alguns apontamentos interessantes e a jogada do golo de Vietto também passa por ele. Saiu aos 67 minutos numa altura em que a equipa precisava de apostar tudo no ataque.

Mathieu (Nota 5) – Não esteve nos seus dias hoje. Fica marcado pelo autogolo que dá o segundo golo ao Portimonense.

Coates (Nota 5) – Também não esteve particularmente feliz. É a partir de um mau passe dele que o Portimonense chega ao segundo golo.

Acuña (Nota 5) – Hoje esteve anormalmente discreto. Pouco há a referir porque neste jogo se limitou a tarefas defensivas.

Doumbia (Nota 6) – Tem ganho confiança desde a entrada de Silas como treinador e hoje, não se destacando muito, deu alguma solidez ao meio campo.

Wendel (Nota 6) – Esteve dinâmico, embora não tenha feito um jogo surpreendente.

Bruno Fernandes (Nota 7) – O capitão voltou a dar o exemplo. Mesmo na altura mais complicada, com a equipa a perder 2-0, soube levar os colegas para a frente. Fez duas assistências, contribuindo de forma decisiva para este apuramento.

Vietto (Nota 7) – Jogo bastante conseguido por parte do argentino. É verdade que falhou algumas ocasiões flagrantes, mas é ele que marca o golo que reduz o resultado à beira do intervalo e é também Vietto que faz o cruzamento para o quarto golo da equipa.

Bolasie (Nota 5) – Estava até a ser dos mais inconformados da equipa do Sporting protagonizando os lances mais perigosos na primeira parte, além do golo de Vietto. Foi, no entanto, expulso aos 44 minutos, embora de uma forma injusta.

Rafael Camacho (Nota 6) – Do pior ao melhor. Depois ter feito, de forma infantil, o penalty que dá origem ao primeiro golo do Portimonense, marcou um golaço dando o empate à equipa do Sporting.

Luiz Phellype (Nota 6) – Começou o jogo no banco devido a um problema de saúde que o deixou algo debilitado. No entanto, a equipa precisava dele e entrou na segunda parte. Marcou o último golo e deixou a sua marca.

Gonzalo Plata (Nota 6) – Entrou para os últimos 15 minutos e correspondeu de forma muito positiva, marcando o golo da reviravolta e colocando o Sporting em posição de apuramento. Ganhou pontos.

Rodrigo Battaglia (Sem avaliação) – Entrou para os últimos minutos numa altura em que a equipa precisava de ganhar músculo a meio campo.

Silas (Nota 7) – Parece não ter passado a mensagem necessária aos seus jogadores antes do jogo. Tivemos um Sporting apático e sem reação em grande parte do primeiro tempo. A segunda metade do jogo foi diferente, principalmente a partir do golo do empate já numa altura tardia do jogo. O Sporting passa esta fase da competição e o treinador merece uma nota positiva por isso.

Artigos relacionados

%d bloggers like this: