RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quarta-feira, Julho 08, 2020

Noite de gala europeia fecha apuramento para a próxima fase

Sporting 4-0 PSV Eindhoven

Vindo de mais longa paragem devido a compromissos de seleções, o Sporting retomava a sua caminhada europeia, a competição em que a equipa leonina tem estado num plano mais positivo esta época. O adversário desta 5ª jornada da fase de grupos da Liga Europa seria o PSV Eindhoven, equipa que tropeçou frente ao LASK Linz na jornada anterior e estava assim numa posição periclitante na classificação.

Para este jogo, Silas via-se obrigado a substituir os lesionados Renan e Coates por Maximiano e Ilori. Wendel também voltava a ser uma opção inicial depois de uma suspensão disciplinar de algumas semanas.

O Sporting entrou forte no jogo e aproveitou um certo nervosismo evidenciado pela equipa de Eindhoven, que jogava aqui uma cartada decisiva no apuramento para a próxima fase.

Logo aos 6 minutos, Bruno Fernandes tem a primeira oportunidade de aplicar o seu forte pontapé a cerca de 30 metros da baliza, com o guarda-redes Lars Unnerstall a fazer uma boa defesa por cima da barra. Logo a seguir, aos 8 minutos, na sequência de um lançamento lateral de Acuña a bola chega a Bruno Fernandes que apenas com um toque assiste Luiz Phellype que aplica um golpe certeiro de cabeça, inaugurando o marcador em Alvalade.

O Sporting ganhava praticamente todas as segundas bolas a meio campo, o que lhe permitia sair com alguma facilidade para o ataque. É com alguma naturalidade que chegou ao segundo golo à passagem dos 15 minutos. Wendel recebe a bola a meio campo e procurando a melhor solução de passe descobre Bruno Fernandes com bastante espaço a meio campo. O capitão do Sporting percorre uns bons metros antes de chutar forte do meio da rua, com a bola a entrar junto ao poste esquerdo da baliza holandesa.

A equipa de Eindhoven só consegue criar a primeira ocasião de verdadeiro perigo aos 28 minutos. Numa altura em que a equipa holandesa tentava esticar um pouco o seu jogo, a bola acabou por chegar a Bruma que à entrada da área rematou muito perto do poste esquerdo de Maximiano.

Com algum reequilíbrio novamente na partida, só aos 41 minutos é que o Sporting volta a criar pânico na área adversária. Num lance extremamente confuso a bola andou por várias vezes muito perto de entrar, com a defesa holandesa a conseguir afastar para canto. Na sequência do mesmo canto, o terceiro golo do Sporting! Bruno Fernandes marca a bola parada para o segundo poste aparecendo Mathieu que fugindo à marcação remata sem deixar cair a bola e fuzilando o guarda-redes.

Terminou a primeira parte e o Sporting, mesmo sem ter feito uma exibição perfeita, acaba por construir um resultado avolumado e bem conseguido na primeira metade. Processos simples e rapidez nas transições permitiram à equipa leonina causar sempre muito stress quando se aproximava da área holandesa.

Na segunda parte, o PSV acabou por corrigir algumas deficiências defensivas e foram mesmo os holandeses que surgiram mais atrevidos no ataque, criando uma grande oportunidade logo aos 46 minutos. Na sequência de um contra-ataque rápido, Malen ganha a Rosier em velocidade e cruza atrasado para um remate forte de Ihattaren que permite uma excelente intervenção de Maximiano. O jovem guarda-redes do Sporting demonstrou uma grande concentração numa altura em que muitos jogadores do Sporting pareciam ainda estar no intervalo.

Foi uma segunda parte com oportunidades menos flagrantes do que na primeira. Ainda assim, destaque para um bom remate de Bolasie aos 58 minutos, após lance individual.

Aos 64 minutos, um dos lances mais importantes desta segunda metade. Arrancada impressionante de Acuña que parecia ter começado o jogo naquele momento, só parando quando foi derrubado dentro da área por Timo Baumgartl. Na marcação do castigo máximo, Bruno Fernandes com toda a calma do mundo, engana o guarda-redes e atira para o lado contrário, fazendo o quarto golo do Sporting.

Até ao final do jogo, a equipa do PSV tentou reduzir e fazer o golo de honra, mas sem sucesso. O Sporting fechou o jogo cedo e apurou-se para os dezasseis-avos de final da Liga Europa, restando saber se ficará em primeiro ou em segundo lugar do grupo em jogo a disputar na Áustria com o LASK Linz, que também ficou apurado para a próxima fase. Sinais muito positivos dados neste jogo, mas com a necessidade de consolidar já no próximo jogo em Barcelos para o campeonato.

Análise Individual:

Maximiano (Nota 7) – Mais uma oportunidade para o jovem guardião leonino devido à lesão de Renan e mais um teste com nota positiva. Esteve em evidência, por exemplo, num remate frontal de Ihattaren, negando com uma grande defesa o golo do PSV.

Acuña (Nota 8) – Numa noite de boas exibições, Acuña foi, indiscutivelmente, um dos melhores em campo. Lutou como sempre, apoiou o ataque sempre que pôde e ainda ganhou o penalty que deu o quarto golo.

Ilori (Nota 6) – Exibição capaz do central que substituiu Coates neste jogo. Fez alguns cortes importantes, nomeadamente um aos 25 minutos após uma má saída de bola da equipa.

Mathieu (Nota 7) – Esteve em grande plano. Tal como o seu colega de setor, fez algumas dobras em ataques prometedores do PSV. Coroou a boa exibição com uma vistosa finalização após um canto, atualizando o placar para 3-0.

Rosier (Nota 5) – Jogo regular do lateral direito Rosier. Tarda em impor-se e pareceu ter sido o elemento mais apagado. Ao contrário de outros jogos, subiu algumas vezes ao ataque, mas os cruzamentos foram sempre pouco eficazes.

Doumbia (Nota 6) – Fez um papel competente no jogo de hoje. Parece estar a jogar mais simples e isso beneficia o seu jogo e dá-lhe mais confiança. Tentou o remate aos 69 minutos à figura do guarda-redes do PSV.

Wendel (Nota 6) – Depois de uma questão disciplinar, Wendel voltou ao onze e quis mostrar serviço. Esteve muito ativo a meio campo e é ele que descobre Bruno Fernandes sozinho a meio campo, permitindo-o galgar metros para marcar o segundo golo.

Bruno Fernandes (Nota 9) – Mais uma noite de gala do capitão leonino. Além de espalhar a classe habitual, assiste Luiz Phellype para o primeiro golo, marca o segundo golo, assiste Mathieu para o terceiro golo e marca o quarto golo de penalty. Exibição perto da perfeição.

Vietto (Nota 6) – Esteve mais apagado que em outros jogos, mas tentou, ainda assim, por duas ou três vezes aplicar o seu remate de longe, como foi o caso do “tiro” ligeiramente por cima aos 57 minutos.

Bolasie (Nota 6) – Não é um jogador soberbo, mas esforça-se imenso e tenta sempre causar perigo.  Fez dois remates com algum perigo para defesa do guarda-redes Unnerstall.

Luiz Phellype (Nota 7) – Raramente é um jogador extremamente participativo no jogo de equipa, mas cumpre o seu papel que é marcar golos. Marcou o primeiro num excelente movimento de cabeça, o que trouxe confiança à equipa para o resto do jogo.

Jesé Rodriguez (Nota 6) – Entrou para o lugar de Luiz Phellype aos 67 minutos e esteve ativo na frente de ataque. Podia ter sido feliz quando chegou ligeiramente atrasado a um cruzamento açucarado de Acuña aos 75 minutos.

Neto (Nota 5) – Entrou aos 73 minutos substituindo Mathieu. Manteve a solidez defensiva que a equipa estava a produzir até então.

Rafael Camacho (Sem avaliação) – Entrou já nos últimos 10 minutos. Nada a registar.

Silas (Nota 8) – O Sporting faz neste jogo a melhor exibição, não só da era de Silas, como da época. Foi fundamental o primeiro golo, mas nota-se uma maior confiança na equipa jogando visivelmente em processos simples. Tem na Liga Europa possivelmente o escape do resto da época.

Artigos relacionados