RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Domingo, Novembro 17, 2019

A Arte da Guerra

A “guerra” que Frederico Varandas abriu com duas das claques do Sporting, ao contrário do que muitos possam pensar, não vem de agora, nem é recente.

Ainda esta direcção não estava à frente dos destinos do clube e já Miguel Cal perorava e defendia o fim das claques enquanto as conhecemos. Ora, Miguel Cal faz parte desta direcção.

“O Futuro de Sporting começa por todos nós”, Junho 2018, Miguel Cal e Ricardo Farinha

Por isso, esqueçam as desculpas que servem sempre nestas alturas, seja para disfarçar a incompetência ou justificar a missão a que se propõe.

Claro que uma parte dos meninos das claques não são meninos de coro nem companhia que aconselhemos aos filhos, mas nunca se pode tomar a parte pelo todo. É preciso não esquecer que grande parte do espectáculo que nos é dado a ver num jogo de futebol tem muito de música, coreografia e apoio das claques. Se o Sporting continua a ser um clube grande, mesmo ganhando menos que os outros, muito o deve às claques e ao seu apoio, principalmente fora de casa.

Se tem de existir um maior controlo e rigor na actuação das claques, isso tem de partir do Estado e da Secretaria do Desporto. Outras claques (ou grupo de adeptos) matam e fazem bem pior e passeiam-se como se fossem anjos a levitar sobre a terra.

Essas desculpas vão desde o que aconteceu na Academia de Alcochete, passando pelos bilhetes oferecidos e pelas gameboxes mais baratas e acabando nos mais de 500 mil euros devidos pelas claques ao clube.

Mas eu lembro-me que o anterior Presidente acabou com o protocolo com as claques depois do que aconteceu em Alcochete, ao contrário do que disse a CS amiga, e que quem fez uma conferência de imprensa com os vários membros de cada claque foram os “senhores” Cintra e Torres, essa dupla dinâmica que veio para salvar o Sporting como homens providenciais (?).

Chegados aqui, tenho várias perguntas. Sou muito curioso no que à estupidez diz respeito. Então vamos lá:

1- Porque acabar com o protocolo com só duas (2) das claques e não com as quatro (4)? O protocolo não é igual para todas? Os bilhetes oferecidos e as gameboxes mais baratas não são para todas? O dinheiro devido ao clube não é de todas?

2- Porque a comunicação social (que é tão amiga e defensora desta direcção) se referia ao anterior Presidente como o “Presidente que veio das claques”, quando esse mesmo Presidente pertencia à Torcida Verde (uma das que continua com o protocolo) e nunca se referiu ao “sotor” da mesma forma, ele sim que pertenceu (com o inefável do irmão) à Juventude Leonina?

3- O “braço direito” Pedro “Barbini” Silveira, pertencente à Juve Leo e que prometeu que no dia em que caísse era o dia em que dava nos “cornos” ao “sotor”, ainda continua na Juventude Leonina? Ou será que o que correu mal foi a tentativa de mudança da direcção da claque, que se pensou mais fácil com a prisão de Mustafá? Esqueceu-se o “sotor” que, apesar de tudo, as claques funcionam com um código de honra e de carácter? Mas já vimos que é uma palavra que não assiste ao “sotor”…carácter.

4- Será que esta tentativa de controlar e “picar” as claques, tem alguma coisa a ver com o julgamento de Alcochete que se aproxima? Espera o senhor Varandas confrontos para justificar alguma coisa? Ou tenta-se simplesmente vingar, porque as claques não acederam a algum pedido mais “mentiroso” para ser dito em tribunal?

Gostava de ver estas perguntas respondidas, mas sei que posso esperar sentado. De qualquer maneira, a resposta será dada a seu tempo, não por esta direcção, mas pelo próprio tempo que nunca se engana.

Chegando ao título desta crónica, é uma pena que Frederico Varandas nunca se tenha debruçado sobre o belíssimo livro metáfora de Sun Tzu, porque teria muito a aprender. E assim não fazia precisamente o contrário do que devia ter feito.

Compreendo que se tenha debruçado mais tempo sobre o Simposium Terapêutico e sobre o Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais, este último eu até acho que fez bem, porque, de certeza, que se reviu em muitas das psicopatias lá apresentadas.

Ao contrário do que dizem na CS, Varandas não ganhou nem está a ganhar esta “guerra”, simplesmente porque ninguém ganha nesta “guerra”. Está sempre dependente dos resultados da equipa e, como já se viu, a incompetência e amadorismo com que tratou o início da época vai acabar por fazê-lo perder esta “guerra”, até porque as claques foram bem aconselhadas e não se deixaram ir no canto da sereia e na tocaia que lhes estavam a montar.

Ora se o “sotor” tivesse ganho um bocado de tempo a ler este livro teria aprendido coisas como:

” As oportunidades multiplicam-se à medida que são agarradas. “

” Aquele que se empenha a resolver as dificuldades resolve-as antes que elas surjam. Aquele que se ultrapassa a vencer os inimigos triunfa antes que as suas ameaças se concretizem. “

” Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas… “

” Triunfam aqueles que sabem quando lutar e quando esperar. “

” Um soberano jamais deve colocar em acção um exército motivado pela raiva; um líder jamais deve iniciar uma guerra motivado pela ira. “

… e muitas mais frases podia ter colocado aqui.

Foi realmente uma pena não ter passado os olhos pela “Arte da Guerra”, mas o Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais também não foi uma perda de tempo. Até acho que o devia reler novamente…e ir curar-se…

Artigos relacionados

9
Deixe um comentário

avatar
5 Comment authors
ZédasCouvesRissol do AventalCroqueteDeLeitãoFazendasPeyroteo Recent comment authors

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscreva  
Notify of
CroqueteDeLeitão
Visitante
CroqueteDeLeitão

Eu já tinha acabado com as claques há muito…

Esta poderá ser das poucas coisas boas que o Varandas deixará no seu legado, apenas pecou por tardio.

«A excelência suprema consiste em quebrar a resistência do inimigo sem lutar»

SL

Fazendas
Visitante
Fazendas

Que texto brutal., para mim só tem um erro, eu acho que o homem não sabe ler 🙂 SL

Peyroteo
Visitante
Rei Leão

Parabéns pelo grande texto. Fabricaram uma bomba que lhes irá rebentar nas mãos. E espero que ao rebentar os leve de vez para fora do Sporting.