RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quarta-feira, Agosto 12, 2020

O fim da democracia leonina

Quem me acompanha no twitter e lê os meus tweets sabe que tenho tendência a utilizar expressões que podem chocar as mentes mais sensíveis, mas acredito que esse choque é necessário para tematizar alguns assuntos e debater o clube. 

O meu amor ao clube já tem várias décadas e tenho mais de 16 anos de sócio. Já passei por grandes presidentes, mas também por muitas vergonhas, tipo Jorge Gonçalves, mas nada, repito, nada, tinha sido pior do que a geração dos Roquettes & Cooptados, a geração dos Escroquetes. 

Esses gestores de topo que fizeram negócios ruinosos para o clube, mas que fizeram excelentes negócios para os próprios bolsos. O último Escroquete, o Godinho, quase que deu a estocada final no clube. 

O plano dos Escroquetes até era simples: encher os bolsos, aproveitar a visibilidade que o clube lhes dava e quando não houvesse mais nada para mamar, vende-se a SAD a um investidor e põem-se a andar. 

Soares Franco disse várias vezes que um 2º lugar era melhor do que o primeiro, porque permitia ir à Champions sem ter de pagar os prémios de campeão. O mesmo dizia que preferia clientes a sócios. 

Os sócios só chateiam, porque teimam em alterar os planos desses chulos. Como é que queríamos arranjar um investidor externo, se o mesmo não tem voz de comando na SAD ? Sim, o importante era acabar com os sócios e entregar aquilo a um investidor externo que depois decidiria sozinho o futuro do clube. Para estes gestores de topo, qualquer outro modelo económico não era viável. 

Assim, vendeu-se o património não desportivo do clube em AG’s com fraquíssima participação. Depois do Godinho ter aberto um buraco financeiro de 90 milhões, já vinham os abutres do costume dar entrevistas a dizer que o clube não tinha salvação, que o clube precisava de outro tipo de gestão. Diziam que era impossível gerir um clube com tantos sócios com opinião e visão diferentes. 

Os sócios decidiram lutar pelo clube e o Godinho foi de vela. Apareceu um “aventureiro”, um “populista” que tinha uma visão diferente das coisas. Os Escroquetes, por cima da sua arrogância, vaticinaram que o rapazote não ia durar 3 meses e que os bancos nunca iriam aceitar negociar com alguém sem credibilidade. 

Enganaram-se ! 

Não só conseguiu resolver os problemas financeiros, como chegou a mobilizar os sócios de uma maneira nunca antes vista. Uniu a curva sul e, com isso, o apoio das claques leoninas passou a ser falado no mundo inteiro. Os nossos GOA foram a Old Trafford, Barnabéu, Camp Nou e outros grandes estádios da Europa e do mundo dar uma demonstração do que é o amor e o apoio a um clube. Os vídeos do “O Mundo sabe que” percorreram o mundo. Aquele episódio, onde faltou a luz num jogo da Champions e onde os adeptos iluminaram o estádio com os seus telemóveis, entrou para sempre na história do amor a este clube. 

No futebol, voltámos a contar para o totobola e não fossem as artimanhas da corrupção do futebol português, o título de 2015/2016 seria nosso e essa vitória ditaria o renascimento do crónico e o início de uma nova era de hegemonia leonina, tal como aconteceu em TODAS as modalidades de pavilhão aonde ganhámos as provas internas e acabámos por vencer as provas internacionais também. 

Como é que acabámos de chegar ao ponto que chegamos hoje ? 

Bem, os Escroquetes nunca aceitaram a humilhação que foi a auditoria. Os sócios já sabiam que eram incompetentes, agora ficaram a saber que também eram chulos. Só que o mundo mudou e a “união de aço” era difícil de quebrar.

Este novo mundo audiovisual e digital não é o mesmo que o mundo do início deste século. Hoje não interessa a veracidade da informação. Hoje interessa ser o primeiro a informar. Hoje o dinheiro é ganho com clickbaits e “visualizações”. Ninguém quer saber a verdade. O povo quer ser entretido e divertido. 

E aí que entram em jogo os LeoNazis. 

Quem pensa nos Nazis pensa, invariavelmente, no massacre abjecto do povo judeu, mas o nazismo foi também uma revolução no mundo da propaganda política e militar. Joseph Goebbels soube como ninguém utilizar os meios de comunicação emergentes (o cinema, a rádio e os posters publicitários) para “educar” o povo.  

A arte de todos os grandes ditadores foi sempre conseguir centrar o ódio do povo num só inimigo. Esse Inimigo que seria culpado de tudo que acontecesse de mal. Não importava se fosse verdade ou não. Aliás, quanto maior for a mentira mais as pessoas têm tendência em acreditar, pois é tão enorme que ninguém poderia realmente inventar aquilo. O importante era a difusão contínua e maciça da contra-informação. Os nazis chamavam a isso a “Gleichschaltung” (literalmente : meter todos na mesma mudança de um motor único). 

O inimigo comum já estava escolhido: Bruno de Carvalho.  

Agora tinham de encontrar aliados fortes com interesses comuns : 

  • O benfas com a sua fortíssima máquina de propaganda e o seu exército de avençados era o aliado ideal. Ora, o caso dos vouchers, os títulos usurpados, os recordes de sócios e o contrato com a NOS são exemplos de ações que beliscaram a propaganda nacional benfiquista;
  • Jorge Mendes: o clube não dá exclusividades a ninguém e o que paga tem de ser oficial e não por debaixo da mesa. O clube tenta vender jogadores directamente sem passar por empresários para aumentar os seus proveitos;
  • Doyen: o processo Rojo foi um luta importantíssima pela independência do Sporting (e não só) dos fundos abutres. Perdemos a batalha Rojo, mas acabamos por ganhar a guerra e os fundos foram proibidos (é ver quem do Sporting foi testemunhar a favor da Doyen);
  • As “elites” leoninas: José de Alvalade quis livrar-se dessa gente, que prefere os piqueniques e os bailes ao desporto e à busca da excelência, com a fundação do Sporting. Ora, esses Escroquetes acabaram para segui-lo para o clube para tentar fazer o mesmo : um clube de gente de bem, que sabe estar. Essas elites encontram-se em grupinhos tipo os Stromp, as Tertúlias e escrevem em Camarotes Leoninos etc.
  • A Holdimo: vendeu as percentagens de passes de jogadores que tinha em troca de ações da SAD para, finalmente, após a reestruturação financeira acabar sem ter a mínima influência na SAD;
  • Os jogadores: estamos a falar dos jogadores com mercado. Aqueles que queriam sair para mercados maiores e não conseguiam dar o passo, porque Bruno de Carvalho teimou em exigir um preço certo pelo seu valor. O dinheiro que o clube recebia a mais era o dinheiro que eles recebiam a menos, no que toca a prémios de assinatura;
  • A Cofina: várias vezes antagonizada por Bruno de Carvalho. A Cofina é a máquina de propaganda do benfas que vive das avenças, de falsos exclusivos e de estórias picantes que dão audiências;
  • Membros de claques dissidentes: a liderança de Mustafá na Juventude Leonina não foi aceite por todos e podemos ler vários posts do mesmo, atestando as tentativas de putsch internos para a conquista da liderança da mais antiga claque portuguesa. Essa oposição também procura o acesso ao poder por todos os meios. 

Com tanto aliado, o sucesso era inevitável, mas era preciso dar a cada um algo a ganhar na golpada que se avizinhava : 

  • Os Escroquetes voltavam ao poder;
  • A Cofina garantia todos os exclusivos e informações internas em primeira mão, com a promessa de novelas bem picantes para entreter o seu público;
  • Jorge Mendes ia receber os 7M do Adrien (5M via a comissão do Patrício e 2M por via do protocolo fantasma) e ter acesso exclusivo aos melhores negócios;
  • Benfas: a abdicação da luta pelos 4 títulos usurpados, o silenciamento da SportingTV quanto aos escândalos do benfas, a desistência ir do estatuto de assistente no e-Toupeira (aka luta pelo título 2015/2016);
  • Os jogadores participantes na golpada iriam ver a sua saída facilitada e a sua imagem salvaguardada. Para aqueles que ficassem, era a promessa de contratos substancialmente melhorados;
  • A Holdimo teria a sua posição na SAD garantida com a perspectiva de ganhar mais poder dentro da SAD;
  • Os membros das claques dissidentes veriam a sua posição reforçada com a inclusão do líder da claque na campanha de propaganda, um deles até teria influência garantida no CD.

Agora é voltar atrás e ver o que se passou desde fevereiro 2018 e perceber as manobras de bastidores que nos levaram à situação em que estamos hoje. 

Hoje estamos prestes a assistir à última parte da golpada que consiste em acabar com o poder dos sócios. Os sócios são uns malucos, uns vermes, que teimam em querer recuperar um clube que os Escroquetes estimam ser deles por direito de consanguinidade. 

Os sacro-santos estatutos agora não contam para nada. Só conta a opinião e a interpretação que Rogério Alves tem sobre os mesmos. 

O voto electrónico vai acabar por controlar o voto dos sócios, até que esse voto deixe de ter relevo ou importância. O Varandas decide aumentar-se, sem consultar os sócios como o seu predecessor fez, porque também tem direito de mamar como todos os outros. 

A Gala Honoris agora é só para a elite e o povo pode babar-se a vê-los na TV a auto congratularem-se pela m**** que fizeram num clube que há um ano exactamente estava em primeiro em TODAS as modalidades. 

O que fazer ? 

Isso depende de ti, caro consócio. Podes baixar os braços e continuar a assistir a este triste espectáculo de um clube moribundo a ser comido por abutres … ou dizeres BASTA e agir, fazeres ouvir a tua voz para reconquistar o clube que sempre foi nosso contra tudo e contra todos. 

“Um povo capaz de sacrificar um bocado de liberdade para ter um bocado de segurança, não merece nem uma nem outra coisa e acaba por perder ambas”

Benjamin Franklin

Saudações Leoninas 

Artigos relacionados

4 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Green Marquis

Acho que estás a misturar tudo. Gleichschaltung foi a nazificacão da Alemanha, nada a ver com judeus. Se formos comparar temos de afirmar que isso foi o que o carnide fez, o país tornou-se o carnidistão. Tens juizes do carnide, tens comunicacão social do carnide, tens politicos do carnide, tens policia do carnide…. enfim, o polvo infiltrou todos os niveis da sociedade, mas isso será mais o que faz a Mafia e não um processo de Gleichschaltung. Neste momento os votos são estão controlados. Aliás, aposto que muitos socios que não vão votar há anos tiveram os nomes utilizados nas… Ler mais »

jorge mendes

criaram a tempestade perfeita, onde os acéfalos sócios se deixaram ir, depois o advog do diabo, o filho do merceeiro, fez o resto, com AGs marteladas e codificadas.

Manuel Antonio de Carvalho

“O Varandas decide aumentar-se, sem consultar os sócios como o seu predecessor fez, porque também tem direito de mamar como todos os outros. ” Muito bom este texto, apenas coloco um reparo! Ter em atenção que se está a falar de contextos diferentes. Enquanto o antecessor(Bruno de Carvalho) “governou” o Sporting com exercícios anuais positivos, lembrando aqui,que nos primeiros oito meses do seu primeiro mandato, Bruno de Carvalho governou o Sporting sem receber um único avo de salário, passando então a receber 5000 euro e mais tarde 10,000 euro ( tudo sob os auspícios de uma comissão de remunerações) encargo… Ler mais »