RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Sexta-feira, Agosto 07, 2020

A culpa é de Alcochete! Só que não

Esta semana ficou marcada pelas declarações de Vítor Oliveira após a derrota em Barcelos, onde referiu que o Sporting não apresenta um plantel de qualidade e que demoraria três a quatros anos para se recompor. Pois bem, tal afirmação serviu para que os defensores acérrimos do Presidente do Sporting viessem a público, de peito feito, dizer: “Estão a ver, este senhor do futebol tem toda a razão!”.

De resto, todos os canais televisivos em Portugal deram ênfase às palavras do treinador do Gil Vicente. Todos os programas desportivos inerentes a esses canais, corroboraram por completo a tese de Vítor Oliveira, alguns até, incutindo responsabilidades à anterior direção.

Há quem diga que o atual plantel do Sporting não tem qualidade e que não dá para mais. Discordo totalmente. Na minha opinião, o plantel que o Sporting tem, poderia e deveria render muito mais, apenas não o faz devido à falta de exigência que Frederico Varandas coloca no seu trabalho. Sempre ouvi dizer que “um fraco rei torna fraca a forte gente” e é isso que se passa atualmente no Sporting Clube de Portugal.

Felizmente existe uma possibilidade de comparação bastante plausível. Comparemos a atual situação do clube com o primeiro ano de Bruno de Carvalho. Vindos de um sétimo lugar e à beira da falência, o antigo presidente do Sporting consegue no ano seguinte sem investir no plantel, colocar o clube na Liga dos Campeões com uma equipa de qualidade similar à atual.

Recorde-se que nesse ano o Sporting tinha como jogadores mais utilizados: Rui Patrício – não era o que é hoje; Maurício – central mediano; Rojo – bom central; Cédric – acabado de vir de empréstimo; Jefferson – lateral de qualidade média contratado ao Estoril; William Carvalho – no seu primeiro ano de sénior, após ter jogado na equipa B; Adrien – acabado de vir de empréstimo; André Martins – jogador mediano; Carlos Mané – primeiro ano de sénior e aposta de Leonardo Jardim; Diego Capel – bom jogador; Carrillo – jovem promessa do Peru que procurava ganhar aos poucos o seu espaço na equipa; Montero – ninguém sabia quem era e o que se sabia, apenas que jogava nos EUA; e Slimani – um modesto argelino que veio para ser suplente nessa época. Destes jogadores que mencionei, apenas cinco eram internacionais “A” pelo seu país na altura, refiro-me a Rui Patrício, Rojo, Capel, Carrillo e Montero.

Já na atual equipa do Sporting, referindo-me apenas aos jogadores mais utilizados, existem oito atletas internacionais pela principal seleção do seu país. São eles: Luís Neto, Coates, Mathieu, Ristovski, Acuna, Borja, Bruno Fernandes e Bolasie. Sendo todos os outros internacionais pelas seleções jovens do respetivo país, à exceção de Renan e Luiz Phellype.

E eu pergunto, esta equipa não tem qualidade para fazer melhor na mesma medida da equipa do primeiro ano de Bruno de Carvalho, sendo plantéis de valia semelhante? A meu ver tem. Esta equipa não é superior ao plantel do Alverca? Andamos a brincar com coisas sérias, só pode.

Por outro lado, também considero que o atual plantel do Sporting Clube de Portugal poderia ter mais opções que o tornassem equilibrado em termos de alternativas, caso Sousa Cintra e, em particular Frederico Varandas com a sua brilhante experiência e visão de mercado, não tivessem mandado embora jogadores como Nani, Matheus Pereira, Domingos Duarte, Demiral, Palhinha, Viviano, Raphinha, Gelson Dala, Francisco Geraldes, Thierry Correia, entre muitos outros jogadores que poderiam equilibrar o plantel e tornar a equipa mais competitiva.

O Sporting, após Alcochete e a destituição do anterior conselho diretivo, contratou cerca de 19 jogadores onde gastou aproximadamente 50 Milhões de Euros referentes ao valor total das aquisições, isto sem contar com os regressos de jogadores que rescindiram.

Abordando esses mesmos jogadores, temos: Bas Dost que voltou ao Sporting com um salário de 3M, tendo ficado apenas uma época desportiva; Battaglia regressou e passou a auferir à volta de 1,8M/ano, com contrato até 2023, o que significa que o Sporting paga cerca de 9M em todo o seu contrato (5 anos x 1,8M); o mesmo acontece com Bruno Fernandes que, ao renovar recentemente, passou a ganhar 4M brutos/ano até 2023, ou seja, o Sporting irá pagar 16M a Bruno Fernandes, mais do que o dobro do que ganhava antes de rescindir.

Resumindo, o Sporting Clube de Portugal gastou cerca de 28 Milhões de Euros apenas com estes três jogadores que viraram costas ao clube e ao seu maior património, os adeptos. E gastou porquê se ainda não pagou? Porque terá de estar provisionado nas contas da Sporting SAD, logo funciona como se tivesse gasto uma vez algo que o clube terá de pagar a curto/médio prazo, digamos assim.

Sem ter acesso a contratos dos jogadores e, não contando com eventuais cláusulas e prémios contratuais que possam existir, é possível dizer com toda a segurança que o Sporting, no que diz respeito ao investimento no plantel após Alcochete e destituição de Bruno de Carvalho, já colocou à disposição perto de uma centena de milhão. Não incluindo os mais de 6 Milhões de Euros gastos em treinadores em pouco mais de um ano e nas comissões pagas a agentes, Dou como exemplo os 2M pagos à Gestifute na transferência de Thierry Correia para o Valência. O Sporting agora paga para vender. É de génio. Só mesmo ao nível de uma mente brilhante e completamente lúcida, enfim.

Em jeito de conclusão, a culpa dos maus resultados desportivos não pertence ao famoso acontecimento de Alcochete, mas sim à má gestão de Frederico Varandas. Onde foram mal gastos milhões e milhões de euros de forma irresponsável que não se traduzem em resultados minimamente compatíveis com os pergaminhos do Sporting e onde jogadores, muitos deles produtos da formação, foram oferecidos a outros clubes quando poderiam ter sido aposta e consequentemente valorizados.

Não aceito que Frederico Varandas e restante direção se refugiem na narrativa da falta de qualidade do plantel para camuflarem a sua incompetência, sobretudo com a conivência da comunicação social. Não aceito porque já foi provado num passado não muito distante, pela direção liderada por Bruno de Carvalho, que com menos se pode fazer sempre muito mais, basta não ser-se nabo, ser-se competente, colocar exigência no trabalho que se desenvolve e, em vez de se focarem nos problemas (“herança pesada”), procurem soluções.

Não há desculpas para o péssimo trabalho realizado pela atual direção do Sporting Clube de Portugal e o seu tempo chegou ao fim. Solicito que coloquem o vosso lugar à disposição, apesar de estarem demasiado agarrados ele.

Artigos relacionados

2 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
GreenMarquis

Mas isso é assumindo que o fivelas e companhia querem fazer BEM.
A meu ver eles estão a tentar fazer exactamente o oposto, destruir ao máximo o património, para justificar a venda da SAD brevemente.

jorge mendes

além da natural incompetência do vagandas, beto e viana, o objectivo deles é sacar dinheiro com as comissões, por isso este carrocel, em Janeiro vai continuar e interessa despachar todos os que foram contratados pelo Bruno, menos o pai da criança do vagandas gay, o seu amado b. fernandes.