RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quarta-feira, Outubro 16, 2019

Anatomia do croquete

Quem pensa que vai aqui ler uma pequena resenha sobre o conhecido salgado desengane-se. Até porque o salgado em questão não é, nem de perto nem de longe, tão nocivo como o croquete criatura humana.

O croquete é uma pessoa bem, o que não quer dizer que seja uma pessoa de bem, aliás, na maioria dos casos o croquete não é de todo uma pessoa de bem.

O croquete é clientelista, lobbyista, tachista. O croquete vive sobretudo para servir e satisfazer a sua casta jet set. Seja ela o partido, o amigo, o familiar ou a loja maçónica.

O croquete mina por completo a sociedade portuguesa, os partidos, o governo, as grandes empresas, a comunicação social, a banca. O croquete é directamente responsável pelo lindo estado em que se encontra o nosso país, e não é só no futebol. É na política, na economia e finanças, é na banca. Foi por causa do croquete que estivemos à beira da bancarrota e teve de vir o FMI meter ordem nisto.

O croquete tem o condão de arruinar tudo aquilo em que mexe, arruína a banca, arruína o povo, arruína o país, arruína também o nosso clube. O croquete é especialista em gestão danosa.

O projecto Roquette marcou o início do assalto dos croquetes ao poder no Sporting. Pedro Santana Lopes deu início a esse assalto, de resto são várias as figuras partidárias que assumidamente não querem no Sporting um clube popular, um clube do povo. Sejam elas do PSD, do PS ou do CDS. E certamente que até no PCP e no Bloco encontraremos croquetes, por muito que estes dois últimos partidos teimem em dizer que são partidos do povo. Mas os anos recentes não nos têm mostrado isso.

Os croquetes, na realidade, não pretendem um Sporting vencedor. Os croquetes pretendem sim, um clube elegante, da alta, educado, simpático. Um clube onde possam passar algum do seu tempo livre e discutir negócios escuros com os seus parceiros croquetes. Interessa é as festas, os rooftops, o glamour.

Ganhar não é importante, exigência não faz parte do seu léxico, compromisso com a camisola só se for a camisola do lucro, atitude e determinação só quando é preciso deitar abaixo os sócios e adeptos do Sporting que não se identificam minimamente com o actual estado do clube.

Os croquetes são os grandes responsáveis pela austeridade, pela queda do Banco Espírito Santo, da Portugal Telecom ou, lá está, do Sporting Clube de Portugal. O estado em que o clube se encontrava em 2013 é prova disso.

Para além de tudo isto, os croquetes são pacientes e persistentes. Eles aguardaram silenciosamente na sombra até conseguirem voltar a tomar o Sporting de assalto. E fizeram-no com a ajuda dos amigos croquetes que conseguiram manter-se infiltrados na direcção cessante.

Não posso terminar esta crónica bem sem deixar uma palavra para Eduardo Ferro Rodrigues. Como Presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues é a segunda figura do estado. Como tal esperar-se-ia da sua parte um comportamento mais diplomático e imparcial face àquele que é alegadamente o seu clube do coração.

Mas não. Após o bárbaro ataque à Academia de Alcochete, Ferro Rodrigues não hesitou em condenar, publicamente e imediatamente, o presidente do clube. Relembro aqui que Ferro Rodrigues foi em tempos alegadamente identificado por uma vítima do conhecido processo Casa Pia. Nada se provou, ou seja, Ferro Rodrigues era inocente.

A minha avózinha sempre me disse para nunca fazer aos outros aquilo que não desejo que me façam a mim. Mas Eduardo Ferro Rodrigues não hesitou em condenar publicamente Bruno de Carvalho, mesmo sem julgamento, mesmo sem condenação judicial. E mais recentemente, Ferro Rodrigues revelou estar muito satisfeito por ter ajudado a derrubar uma direcção democraticamente eleita pela maioria dos sócios do Sporting.

Portanto para mim Ferro Rodrigues não é adepto do Sporting Clube de Portugal, mas sim do Sporting Croquete de Portugal. Tal como todos os outros nomes relevantes da sociedade Portuguesa que nos últimos tempos têm saído em defesa do seu clube. Pedro Santana Lopes, José Maria Ricciardi, Paulo Portas, Miguel Relvas, etc. etc. Clube esse que não é o mesmo que o meu, eu não sou do Sporting Croquete de Portugal, mas sim do Sporting Clube de Portugal.

Artigos relacionados

Notify of
HULK VERDE
Visitante
HULK VERDE

Há uns que estão de molho, outros prontos a servir…

Peyroteo
Visitante
Rei Leão

A definição perfeita de um croquette. Faltou só dizer que eles conseguem passar a informação geneticamente, para mal dos nossos pecados.

Ir para a barra de ferramentas