RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Sábado, Fevereiro 24, 2024

Neste dia… em 2015 – Sporting vence Besiktas por (3-1) e segue em frente na Liga Europa

Sporting 3 – Besiktas 1: “Leão” ruge a 20 minutos do fim

Os “leões” fizeram sofrer os seus adeptos mas carimbaram o passaporte para a próxima fase da Liga Europa nos últimos 20 minutos, sob a batuta de Ruiz.

O Sporting venceu o Besiktas de Ricardo Quaresma por 3-1 juntando-se a FC Porto e SC Braga na próxima fase da Liga Europa, com sorteio agendado já para o próximo dia 14 (segunda-feira). Apesar do marcador e das estatísticas finais, os “verde-e-brancos” fizeram sofrer os seus adeptos e as situação esteve “turca”. Eis os Ratings do encontro, seguidos de algumas notas e os destaques individuais do encontro.

O Sporting viveu boa parte do encontro dando a impressão de que eram os visitantes que precisavam vencer para passar: tímido, apático e pouco objectivo, o “leão” não conseguia sequer manter o domínio da posse que o tem caracterizado durante quase toda a época, até que… Slimani (quem mais poderia ser?), já após o golo do Besiktas que parecia condenar os “verde-e-brancos”, contou com a colaboração do guardião Zengin e galvanizou a equipa para uns últimos 20 minutos de afirmação, devidamente “vitaminados” por um Gelson que rendeu Montero ao intervalo. A partir desse momento, e até final, assistiu-se à quebra turca, acompanhada em paralelo pelo rugido leonino, com um Teo Gutiérrez saído do banco a (finalmente) mostrar o que se espera dele, já após Ruiz dar a vantagem aos “leões”.

Um Barbosa sem croissants

A comparação do título pode ser exagerada mas não deixará de fazer sorrir o adepto leonino, satisfeito. Bryan Ruiz voltou a cotar-se como a melhor aquisição do Sporting neste defeso, mostrando grande influência: o costa-riquenho já era o melhor antes de o “leão” acordar, assim continuou após os colegas decidirem ajudar. Um golo e uma assistência são apenas uma coroa numa exibição muito positiva do experiente fantasista que, tal como Barbosa, não impressiona pela velocidade, mas compensa com a qualidade de execução e de raciocínio “com bola”.

No plano negativo o foco vai para William Carvalho, muito longe (pelo menos neste encontro) do seu melhor. Não nos recordávamos, inclusive, de ver o “6” leonino terminar um jogo com uma eficácia de passe tão baixa (76,8%, perdeu 18 vezes a posse, tantas como Jefferson, mas num lateral é um valor normal), mesmo tendo em conta que o pressing turco no “miolo” nunca lhe facilitou a vida, assim como sucedeu com Adrien. Melhores jogos virão também para Quaresma que, apesar da assistência e outra “trivela”, perdeu a posse em 20 ocasiões, um desempenho muito abaixo do seu congénere de ala, Sahan.

Fonte: goalpoint.pt

Data: 10/12/2015
Local: Estádio José Alvalade
Evento: Sporting (3-1) Besiktas, Liga Europa

Artigos relacionados

Comments

  1. HULK VERDE

    Estive nesse jogo a assistir no topo Norte, bancada B. Aliás, penso que foi o último jogo que vi ao vivo em Alvalade. Não comprei Gamebox nessa época, mas decidi ir para apoiar a equipa, que discutia o apuramento no último jogo da fase de grupos com os turcos. Foi um dos melhores jogos que vi em Alvalade, não tanto a nível de jogo, que até foi entretido, mas mais pelo que se passou na bancada, principalmente no topo onde me encontrava.
    Os turcos gritavam amiúde “Quaresma, Quaresma…”, que era uma das vedetas da equipa (tinham uma equipa interessante, foi talvez o ponto alto do Besiktas a nível de plantel na última década), e festejaram efusivamente o golo de Mario Gomez…
    Mas quando o Sporting deu a volta ao jogo, passaram os seus adeptos a gritar pelo nome do ex-jogador, em resposta. Os turcos puseram-se em sentido, de pé, com semblante carregado e ofendido, e o topo Norte todo de pé, a olhar para eles, num autêntico “stare down” de parte a parte (claro que havia as grades a separar o sector deles, e ainda eram bastantes, do nosso). E passados alguns segundos, a atenção de todos voltava-se de novo para o jogo e o ambiente desanuviava. Mas não pensem que foi episódio isolado.
    Por mais do que uma vez isso se repetiu, num dos jogos mais épicos de assistir em Alvalade numa competição europeia. O pessoal cantava “Quaresma”, os turcos calavam-se, erguiam-se, voltavam-se e olhavam para o nosso lado, chateados, e o pessoal levantava-se, calando-se por breves instantes, olhando para eles, e aquele impasse durava alguns segundos antes de toda a gente se voltar de novo para o que se passava no campo, onde se discutia o resultado da contenda.
    Slimani, Brian Ruiz e Teo Gutierrez fizeram os três golos da reviravolta, afirmando o bom momento que o Sporting vivia e o futebol que praticava, superior ao do Besiktas, apesar da possibilidade de eliminação iminente.

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>