RUGIDO VERDE

Levantar e levantar de novo, até que os cordeiros se tornem Leões!

Quarta-feira, Novembro 30, 2022

O Amigo Secreto de Varandas

Não vou falar sobre o inegável sucesso desportivo em que se está a transformar a presente época, muito menos sobre a valorização absurda feita ao jogador Paulinho, em mais de 20M por 70% do passe, que o levam para o patamar de maior negócio alguma vez feito entre clubes portugueses e um dos maiores negócios a nível internacional no último mercado.

Tendo este assunto já sido bem escalpelizado, proponho agora uma abordagem diferente, para que e com a simplicidade possível, muitos percebam e fiquem conscientes da real situação financeira do clube, onde estamos e para onde caminhamos.

Assim, e utilizando a informação disponibilizada pelo clube no último Relatório e Contas (ReC) com dados de Junho a Setembro de 2020, sabíamos que existia  em caixa um valor de 4.732M:

Também ficámos a saber que as dívidas de clientes, cuja expectativa de recebimento é de um ano, rezando para que os clientes não adotem a estratégia  da Sporting SAD em esticar prazos acordados, eram de 11.959M:

Pela narrativa do CD e do citado ReC, fomos informados que não eram expectáveis receitas de bilheteiras e gamebox, muito menos das competições europeias, das quais já estávamos eliminados, e que não existia a intenção de adiantar mais dinheiro do contrato com a NOS – o qual já se encontra adiantado e gasto em 62.020M:

Mediante esta informação, facilmente se deduz que as únicas receitas até ao final da época serão as obtidas com a venda de jogadores, e desde o fecho das contas em  2020/09/30 até hoje, 2021/02/07, sabemos que apenas foi realizada a venda de Wendel por 20.3M e Vietto por 7M (para o Sporting apenas 3.5M):

Admitindo que se consegue arrecadar e disponibilizar de imediato todas estas verbas, (4.7M em Caixa, 11.9M dos clientes e 23.8M nas vendas), concluímos que para enfrentar 9 meses de gastos (Outubro de 20 a Junho 21) teríamos uma disponibilidade teórica de 40.4M.

Entremos agora nos gastos que enfrentamos nesses 9 meses a contar do último ReC, centrando a atenção apenas nos Salários e Serviços Externos, pois existem mais gastos. Sabemos que em 3 meses pagámos 14.937M em salários, pelo que será equilibrado admitir que nos próximos 9 meses (3×3) o gastos serão de 14.937M x 3 = 44.811M:

Com o mesmo raciocínio para os Serviços, em 3 meses os gastos foram de 4.985M, pelo que nos 9 meses seguintes deverão ser 4.985M x 3 = 14.955M:

Podemos então concluir que em Salários e Serviços será necessário pagar um total de 59.355M, para os quais como foi explicado apenas temos num cenário idílico e puramente teórico um total de 40.4M em receitas. Ou seja, tudo somado e subtraído, para que não haja corte de água e luz e para manter os salários em dia, será necessário encontrar no mínimo um financiamento adicional de 20 milhões de euros. Alerto que o valor é muito mais alto, mas como disse logo de início, resolvi simplificar o cálculo para que percebam o quão simples é detectar este grande problema.

A comunicação social desportiva, a comunicação social especializada e até a então eurodeputada Ana Gomes, em 2015, foram lestos a questionar e a insinuar a origem suja do financiamento para contratação de Jorge Jesus, mas permanecem todos em silêncio perante os negócios e o investimento feito por uma SAD descapitalizada, bem evidente nas contas que comunica à CMVM:

Não, não vou insinuar uma origem suja do capital, vou apenas lançar para discussão as possibilidades que permitem ou vão permitir conduzir a SAD até ao próximo mercado e à necessidade de realizar receitas que minimizem o decit do atual exercício:

  • Os bancos voltarão abrir a torneira (cenário pouco provável);
  • Tal como em 2013, já estão vendidos jogadores (também pouco provável, nestas situações é difícil de evitar leaks);
  • Houve novo e significativo adiantamento do contrato da NOS (também pouco provável pois além de contrariar o prometido seria difícil manter a operação de financiamento em segredo).

Resta o cenário mais provável de todos: o Varandas arranjou um novo amigo secreto que está a ajudar a pagar as contas e que custará um preço que os Sportinguistas não sabem e não querem saber qual será.

Não ficaria de consciência tranquila se terminasse este artigo sem fazer uma referência à estranha (ou talvez não) letargia da imprensa, mas sobretudo dos Sportinguistas que têm uma obrigação moral, para com um Conselho Directivo que reviu e melhorou as suas remunerações mas, e após as vendas do patrimônio que herdaram e que renderam mais de 250 Milhões, apenas conseguiram “poupar” 623 mil euros tendo em vista a aquisição das VMOCS e a libertação do clube do jugo dos bancos. Nada melhor do que ler o que escreveram sobre o assunto, 2026 é já ali ao virar da esquina:

Nota: Nesta avaliação/cenário apenas estou a considerar o pagamento da despesa corrente, admitindo que os clientes, ao contrário do Sporting, paguem de imediato tudo o que devem e que o Wendel tenha sido vendido a pronto pagamento. Se partisse para a necessidade de pagar aos fornecedores dos investimentos realizados nestas e em épocas anteriores, dos financiamentos vencidos e dos juros correntes, a necessidade de financiamento atingiria valores que nem é bom pensar neles porque seria olhar para um buraco negro. E dizem que toda a gente anda feliz e contente sem saber disso.

Os amigos de Varandas

Artigos relacionados

1 Comentário
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Rui Barbosa

Muito estranho. Muito estranho mesmo. Como diziam os vendedores nas feiras: é prácabar. Resta-nos o youtube. Os outros vão conseguir o que sempre quiseram. acabar com o Sporting.